Você está em
Home > Notícias > 12ª FEIRA E CONGRESSO METALURGIA EM JOINVILLE TEM NOVA DATA

12ª FEIRA E CONGRESSO METALURGIA EM JOINVILLE TEM NOVA DATA

Organizadores da Metalurgia transferem evento para 1° a 4 de dezembro de 2020

Data foi definida após pedido de expositores e incerteza da liberação de eventos em setembro, em função da pandemia da covid-19

A organização da 12ª Metalurgia – Feira e Congresso Internacional de Tecnologia para Fundição, Siderurgia, Forjaria, Alumínio e Serviços, anuncia nova data para a realização do evento, de 1° a 4 de dezembro de 2020. A decisão foi tomada após pedido de grande parte dos expositores e da incerteza de controle da pandemia da covid-19 e da liberação de eventos até setembro, mês que a feira estava previamente programada.

Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil, diz que a mudança reforça o compromisso da organização da Metalurgia de criar um ambiente de negócios, tecnologia, inovação e conhecimento, fundamental para o desenvolvimento contínuo da indústria desse segmento. “A decisão considerou o investimento dos expositores, a necessidade de todos se reorganizarem e a importância de garantir a visitação de qualidade ao evento”, explica.

A Metalurgia é realizada na região do centro-sul do Brasil em um importante polo industrial que concentra grandes fundições como Tupy, WEG, Embraco e Schulz, grandes exportadores de peças técnicas fundidas para diferentes setores, em especial automotivo, linha pesada e agrícola. Em um raio de 100 km concentra fábricas de grandes marcas do setor automotivo como BMW, Audi, GM, Volvo, LS Tractor e Fremax, e fabricantes de peças para o setor auto como Tupy e Schulz.

O mercado industrial da região sul do Brasil demanda de alta tecnologia e investe continuamente na atualização dos processos e parques fabris. Entre os expositores confirmados destacam-se fornecedores de matérias-primas, sistemas de medição e transporte de materiais, máquinas, equipamentos, robôs e serviços, voltados para a automação de processos, indústria 4.0, tratamento térmico e soldagem, reciclagem e EPIs. “Temos a responsabilidade e a oportunidade de fazer uma excelente edição da Metalurgia, exatamente no momento de retomada da economia, onde expositores precisarão alavancar contatos e vendas, e compradores adequar métodos e processos para garantir mais competitividade”, destaca Spirandelli.

Bienal, a feira é a principal do Brasil realizada nos anos pares e reúne eventos simultâneos como a Reunião da ABIFA (Associação Brasileira de Fundição), congresso de tecnologias para fundição, seminário de inovação, workshops de expositores, rodada de negócios e visitas técnicas a empresas da região. “Uma feira cumpre o seu papel de relacionamento, negócios e capacitação, consolidando-se como o investimento em marketing B2B mais completo. É uma ferramenta que gera mais credibilidade nas negociações, pois nada substitui o face a face e após a pandemia esse contato será ainda mais importante”, acrescenta Spirandelli.

Praticamente todas as grandes empresas do setor no país e marcas internacionais expõe na Metalurgia, e área útil do evento já é 30% superior à edição de 2018. Tradicionalmente a feira recebe visitantes qualificados do Brasil e outros países interessados em negócios e parceiras.

Serviço

Metalurgia – Feira e Congresso Internacional de Tecnologia para Fundição, Siderurgia, Forjaria, Alumínio e Serviços

Data: 1 a 4 de dezembro de 2020

Horário: 13h às 20h

Local: Parque de Exposições Expoville – Joinville – SC – Brasil

Realização: ABIFA

Organização: Messe Brasil – www.metalurgia.com.br

Saiba mais sobre manutenção:

SUMÁRIO:
tópico – título – página

01 – Apresentação – 01
02 – A Manutenção e seu planejamento – 05
— Manutenção preditiva
— Manutenção corretiva
— Manutenção de confiabilidade
— Engenharia de Manutenção
— Manutenção preventiva
— Implementação da manutenção preventiva
— Manutenção preventiva em moldes

03 – Considerações sobre custo com manutenção – 15
04 – A padronização facilita a manutenção – 16
— Componentes padronizados permitem a reposição fácil
— Sugestões de padronização para moldes
— Definições prévias para projetos

05 – A importância da análise crítica do projeto – 28
06 – Detalhes da execução inicial do molde – 33
— Balanceamento das cavidades; travamento do molde; requisitos para escolha do aço; eliminar detalhes de produto negativos da extração; conceito de refrigeração apropriado ao tipo de molde; sistema de refrigeração conform cooling.

07 – Garantir eficiência e qualidade desejada – 42
08 – Tratamentos de superfície favorece ao molde – 44
09 – Retrabalho em porta molde oferece poucas opções – 45
10 – Imantação e desmagnetização das peças – 49
11 – Aplicação e função de isolantes térmicos no molde – 50
12 – Retrabalho com solda altera dureza e danifica acabamentos – 52

  • Variação de dureza tem influência no polimento

13 – Conservação do polimento no molde – 59
14 – Manutenção = Limpeza + Revisão – 66

  • Avaliação inicial na recuperação do molde

15 – Limpeza e teste de vazão do sistema de refrigeração – 70
— Utilizar critérios na localização de entradas e saídas

16 – Como evitar corrosão nos furos de refrigeração – 73
— Problemas de refrigeração interferem no controle da temperatura
— Formação de depósitos danosos com baixa condutibilidade térmica

17 – Ajuste de folga elimina enrustido entre bucha e coluna – 83
— Molde trepidando ao abrir ou travado na máquina

18 – Riscos e ranhuras provocados por pinças na abertura do molde – 91
19 – Atenção com pinos extratores – 96
— Lubrificação dos pinos extratores
— Observações de projeto para da extração
— O que provoca a quebra de extratores

20 – Enrustido em peças móveis – 104
21 – Correção e ajuste de fechamento no molde – 106
— Ajuste entre gaveta e cunha na manutenção
22 – Desgaste sofrido pelas superfícies das cavidades – 113
23 – Saída de gases interrompidas – 115
24 – Acúmulo de resíduos na face do molde – 122
— Tipos de resíduos
— Aparecimento de resíduos nas faces de fechamento
— Recomendações para evitar o acúmulo de resíduos
— Limpeza do molde
— Jateamento com gelo seco
— Limpeza por ultrassônica

25 – Alteração ou deformação da geometria das peças – 128
26 – Aparecimento de rebarba nas peças – 130
27 – Quebra de componentes e acessórios – 132
28 – Amassado em áreas de produto devido colisão – 133
29 – Condições do sistema de alimentação – 134
— Cuidados necessários com sistemas de câmaras quentes
— Problemáticas com “gate” e sua recuperação
— Bicos valvulados asseguram maior controle da injeção
— Problemas no uso de câmara quente
— Desbalanceamento do sistema e importância dos controladores
— Necessidade de ventilação

30 – Produção e reaproveitamento da Borra – 153
— Borra limpa / queimada / contaminada

31 – Condições de ferramentas manuais – 156
32 – Cuidado no transporte dos moldes – 157
33 – Procedimentos para montagem do molde na injetora – 159
34 – Considerações e ajuste inicial para Tryout do molde – 166
35 – O uso de protetivos prolonga vida útil do molde – 174
36 – Conservar molde exige local apropriado – 175
37 – Bom senso, atos e condições de segurança – 178
38 – Glossário – 181
39 – Fornecedores de aço para fabricação de Moldes de Injeção – 183

Deixe uma resposta


Top