Você está em
Home > Notícias > ADIRPLAST APONTA CRESCIMENTO NAS VENDAS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2019

ADIRPLAST APONTA CRESCIMENTO NAS VENDAS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2019

 

 

                                     

 

Adirplast aponta crescimento nas vendas do primeiro semestre de 2019

Os associados da ADIRPLAST (Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins) encerraram o primeiro semestre de 2019 com um aumento médio de 3,5% nas vendas quando comparadas com o mesmo período de 2018. Já em relação ao segundo semestre também do ano passado, o crescimento foi de 5,8%.

Para o presidente da entidade, Laercio Gonçalves, os números positivos são resultados de um trabalho de constante aprimoramento das filiadas: Apesar de todos os problemas enfrentados pelo país nos últimos anos, nossas empresas continuam firmes, fortes e investindo. Temos uma logística tão eficiente quanto as grandes empresas do e-commerce. Assim, com muito empenho e trabalho, conseguimos alcançar números positivos nesses últimos dois anos. Em 2018, por exemplo, os associados venderam 421 mil toneladas de produtos – volume 5,8% superior ao comercializado em 2017, considerando todos os produtos que compõem o portfólio das associadas: resinas e plásticos de engenharia”.

De acordo com os números divulgados pela ADIRPLAST, os plásticos de engenharia, como PA 6 e 6.6, PC, ABS, POM e PMMA, tiveram maior incremento de vendas em volumes neste primeiro semestre em relação a 2018, enquanto o pior desempenho foi do polipropileno. Considerando apenas o volume de vendas das duas principais commodities – PEs e PP – houve aumento de 3,2% em relação ao primeiro semestre de 2018 e 7,4% em relação ao segundo semestre do ano passado.

A fraca demanda de polipropileno e EVA no mercado foi sentida pela Eteno. Por lá, conta Rodrigo Fernandes, diretor da empresa, o primeiro semestre foi apertado: “Lutamos para manter os volumes históricos mesmo que isso implicasse em sacrifício de margem, mas o desempenho está abaixo do esperado”.  De acordo com o executivo, o mercado de polietilenos foi que segurou a baixa demanda dos outros dois itens: “Essa é uma situação que perdura desde 2018”.

Para James Tavares, da SM Resinas, os resultados do primeiro semestre foram positivos, dentro do esperado. Tivemos baixo crescimento da economia brasileira e muitas flutuações de câmbio e de preços internacionais. A ampliação do portfólio da empresa, que neste período passou a trabalhar com as especialidades da DuPont , incorporadas à gama de produtos Dow, foi essencial para os bons resultados obtidos: “Nesta linha obtivemos um crescimento relevante”. De outro lado, no primeiro semestre, identificamos a desaceleração mais acentuada no mercado de rotomoldagem  que nos demais segmentos”, explica.

Assim, apesar dos números positivos, Laercio Gonçalves explica que o setor não está imune aos problemas econômicos e fiscais enfrentados pelo país. A reduzida margem de lucros não nos permite grandes comemorações. Além disso, a guerra fiscal entre estados também permite uma competição desleal no varejo e inibe o crescimento das empresas sérias”, explicou o presidente da ADIRPLAST, Laercio Gonçalves.

Por isso, diz o presidente da entidade, seus associados depositam grande esperança na aprovação da Reforma Tributária liderada pela Câmara dos Deputados, tendo como base a excelente proposta do “CCiF – Centro de Cidadania Fiscal” de Bernard Appy.

Para o segundo semestre de 2019, a entidade prevê um aumento de cerca de 5% dos volumes comercializados em relação ao mesmo período de 2018.

Fonte: ADIRPLAST

 

Acompanhe nossas divulgações pelo Facebook

 

Deixe uma resposta


Top