Você está em
Home > Moldes > APLICAÇÃO DE PIGMENTOS E CORANTES EM TERMOPLÁSTICOS

APLICAÇÃO DE PIGMENTOS E CORANTES EM TERMOPLÁSTICOS

Os pigmentos são substâncias de natureza diversa com a característica intrínseca de serem portadores de cores. Na terminologia técnica, faz-se uma distinção entre pigmento e corante.

Pigmentos são substâncias de origem inorgânica, geralmente insolúveis em solventes convencionais, como a água e o álcool, e que conferem cor por dispersão através de um sistema. Alguns pigmentos apresentam uma pequena solubilidade.

Os pigmentos se apresentam na forma, de pós de granulometria muito fina, com partículas de tamanho médio entre 0,01 e 1,0 micron. O tamanho das partículas pode afetar o tom, a matiz, a nuança e a limpeza das cores, bem como a reologia dos materiais.

Tom de uma cor é a sua variação obtida pela adição do preto ou do branco, sendo as diferentes variações de uma cor obtidas desta forma, denominadas tonalidades.

Nuance de uma cor é a sua variação obtida pela adição de uma pequena quantidade de outra cor, sendo as diferentes variações de uma cor obtida desta forma, denominadas matizes; quando uma matiz de uma cor é formada por uma cor primária com mais uma pequena quantidade de outra cor primária, este matiz é chamado de cor limpa.

Porém, se o matiz for composto pela cor básica e pequenas quantidades de mais do que uma cor primária, ele é chamado de cor suja. As cores classificadas como cores primárias são o amarelo, o vermelho e o azul, as quais são complementares entre si, ou seja, a combinação das 3 resulta no branco.


Pigmentos .

As demais cores são chamadas de cores secundárias, uma vez que resultam de combinações das cores primárias. Voltando ao assunto do tamanho das partículas de pigmentos, geralmente, à medida que o tamanho das partículas diminui, os vermelhos, laranjas e verdes se tornam amarelados, os amarelos e azuis se tornam esverdeados, a força das cores aumenta, e a fluidez do termoplástico diminui.

Corantes são substâncias de origem orgânica, solúveis nos solventes mencionados, e reativos em alguns sistemas. Os corantes são fortes, brilhantes, e, por serem solúveis, são também transparentes. Com grande freqüência referem-se aos corantes como pigmentos orgânicos. Com referência ao brilho, intensidade de tingimento e variedade de nuanças, os pigmentos orgânicos ultrapassam de longe aos inorgânicos.

Tantos os pigmentos quanto os corantes são classificados em naturais e sintéticos. Os pigmentos naturais são obtidos pela moagem de minerais, como sílica, bário, cálcio e óxidos de ferro. Os pigmentos sintéticos são obtidos por reações químicas e compreendem óxidos, óxidos hidratados, cromatos e ferrocianetos.

Os corantes naturais são produtos de origem animal e vegetal e são relativamente muito pouco usados. Os corantes sintéticos são produzidos através de reações químicas e englobam ftalocianinas, atraquinonas, e outros compostos; estes também são usados em escala muito menor que os pigmentos inorgânicos, principalmente devido ao custo elevado.


Corantes.

Os termoplásticos podem ser adquiridos dos fabricantes em suas cores naturais, que são o branco leitoso (poliamidas, acetais, polietileno, polipropileno), cinza (ABS, polioxido de fenileno), cristal transparente (polistireno, SAN, policarbonato, PVC), ou já coloridos.

Segundo a pesquisa o Portal do Moldes apurou que quando o termoplástico é comprado já colorido, o próprio fabricante se incumbe de, após a polimerização, misturar mecanicamente o corante ou pigmento ao termoplástico e peletizá-lo. Existem também firmas especializadas em colorir plásticos para terceiros.

Outra alternativa é comprar o termoplástico em sua cor natural e proceder ao seu tingimento. O processo mais prático para se tingir termoplástico é misturar ao mesmo, mecanicamente, quantidades adequadas de um termoplástico compatível com o mesmo, peletizado, que serve como portador de uma quantidade concentrada de corante ou pigmento. O material geralmente utilizado como portador ou veículo do pigmento ou corante é o polietileno, ao qual, já peletizado e contendo o corante ou pigmento concentrado, se dá o nome de máster-batch.

Finalmente, uma terceira alternativa, é injetar o termoplástico em sua cor natural e tingir a peça pronta, por imersão em banho aquecido de solventes com corantes orgânicos dissolvidos. A natureza dos solventes deve ser tal que exista uma reação com a superfície das peças de termoplástico, garantindo uma penetração da solução corante na superfície das peças. Um inconveniente desta alternativa é que a cor obtida na peça varia com o tempo de imersão da peça no banho, com a concentração do corante no banho, a temperatura no banho etc., tornando-se difícil controlar o resultado do processo dentro de padrões rígidos de uniformidade.

Pesquisa em Wikipédia para divulgação no Portal do Moldes.
Hamilton Nunes da Costa

Top