Você está em
Home > Moldes > BOM SENSO, ATOS E CONDIÇÕES DE SEGURANÇA, ITENS IMPORTANTES NA MOVIMENTAÇÃO DE MOLDES.

BOM SENSO, ATOS E CONDIÇÕES DE SEGURANÇA, ITENS IMPORTANTES NA MOVIMENTAÇÃO DE MOLDES.

 

A segurança no trabalho é tema discutido, divulgado e praticado no dia à dia nos locais de trabalho. A prática deve ser incentivada e cobrada entre os próprios funcionários pois, todos estão expostos aos mesmos riscos em caso de condições ou atos inseguros

Não se deseja ensinar segurança ou as formas de aplicá – la mas sim, alertar da importância do trabalho com segurança pois, há uma família que nos espera no fim do expediente.
Com relação ao manuseio de moldes de injeção, a convivência em ambiente de ferramentaria nos permite destacar pontos ou vícios adquiridos durante o trabalho, por isso, devemos lembrar que cabe a todos zelar pelo bem estar comum.

As ferramentas que as organizações possuem são várias e entre elas, o lay- out é um dos mais importantes. A disposição de equipamentos com regras e normas conforme a legislação, já elimina situações que possam nos prejudicar criando condições inseguras pois, estão baseadas em estudos que reunem diversos aspectos.
Citando apenas uma ferramenta, o método 5S é um grande aliado neste processo e a sua implementação sempre ataca pontos que elimina a desorganização pois, elimina hábitos individuais e prioriza e apóia a participação coletiva. (  http://moldesinjecaoplasticos.com.br/5s-consideracoes-importantes-para-sua-aplicacao/ )

Para se efetuar o trabalho com segurança, os meios utilizados e as condições apropriadas são fundamentais porém, não bastam só as boas condições quando o procedimento não for o conveniente.

No dia à dia, no chão de fábrica o funcionário adquire conhecimentos e amadurece profissionalmente sendo que, por questões de autoconfiança em alguns casos passa a desprezar pequenos detalhes que podem significa perdas irreparáveis. O manuseio do ferramental, tem inicio já no processo de fabricação e cabe a supervisão avaliar a capacidade produtiva para a usinagem, mas também as condições para manuseio do mesmo pois, para execução de moldes de grande porte, a empresa deve estar preparada.

 

 

Atuando no setor de ferramentarias, acompanhamos a evolução técnica de equipamentos que vão desde a utilização de talhas manuais até o uso de ponte rolante de comando elétrico, utilizamos dos cabos de aço até as modernas cordas de nylon e cintas de polipropileno e observamos a inovação em olhais, carretéis e diversos outros ítens para manuseio.
Muitas ferramentarias tem o procedimento da fabricação de itens como carretéis para uso próprio mas, deve ser observado que se não estiver de acordo com as normas, os mesmos comprometem a segurança de todos.

Para o manuseio de moldes de injeção, assim como para vários tipos de ferramental a escolha adequada do equipamento e meios auxiliar para transporte por talhas e ponte rolante deve ser tratado, com a supervisão de um técnico de segurança.

 

Alguns elementos para manuseio devem ser componentes do molde, assim como a trava de segurança, ítem importante que mantém as partes do molde fixas, não permitindo abertura durante transporte ou tombamento. As travas podem ser de vários tipos embora o ideal seja a padronização , sendo que o modelo mais simples varia apenas no tamanho, acompanhando dimensões do molde.

 

As vezes na desmontagem, tombamento ou mesmo transporte ocorre dúvida no uso de olhal, carretel e ainda  outros, sendo que a escolha tem influência na segurança do profissional.

 

Não se pode deixar de dar o alerta sobre o uso de parafusos em substituição aos carreteis ou olhais. É uma atitude insegura que cria uma situação de loteria que pode dar certo ou não e, portanto, tratando –se de segurança, é melhor nunca arriscar.


“Condição insegura”
Quando se observa o fator segurança e o mesmo se torna uma prática e assunto frequente, a mente está sempre em alerta e mantém uma fiscalização constante ao ambiente, principalmente de trabalho e atitudes executadas nas tarefas do trabalho e em seu cotidiano.É importante que se dê prioridade ao tema de maneira planejada e sempre assistida por quem possa”esclarecer dúvidas ou mesmo buscar as respostas corretas”.

Em muitas situações “todo cuidado é pouco” pois, na intensão de facilitar o trabalho acaba-se fabricando meios auxiliares alternativos “ para o manuseio do ferramental sendo que os mesmo não são submetidos aos testes de resistência conforme as normas exigidas a este tipo de equipamento. Esses meios alternativos podem tornar –se armadilhas que se rompendo causam transtornos”.

 


Parafusos soldados


 

Outros Meios auxiliares alternativo


Enquanto o “estrago” se mantém apenas em percas materiais e no financeiro tudo se ameniza mas, deve servir como um sinal de que algo não vai bem, necessitando ser aprimorado.
O técnico de segurança do trabalho é o profissional indicado para verificar sempre as condições dos meios a serem utilizados e a dar orientações ou suporte necessário.
As Cordas são meios auxiliares feitos de fibras sintéticas e possuem um trançado interno e uma malha externa de mesmo material. Suas condições devem sempre ser observadas e ao sinal de que está ocorrendo rompimento da malha externa, deve ser substituída.



Este meio auxiliar é comprado por metragem e após feito o corte, procede-se a amarração ou nó com medida de comprimento definida de acordo com o campo de trabalho e até em alguns casos com as medidas específicas de um ferrramental a ser manuseado.

 

As cordas são produzidas a partir de fibras sintéticas e tem em sua aplicação fatores de risco que geralmente se relacionam com a segurança de bens ou pessoas. Devido a essa responsabilidade, as fibras sintéticas usadas em sua fabricação devem ter preservadas todas as suas características físico-químicas. Somente as fibras virgens dispõe de 100% de todas as características originais, proporcionando ao produto uma maior resistência a fatores mecânicos e melhor aparência e maior leveza, garantindo assim uma maior resistência à ruptura e à abrasão. As fibras feitas com material reciclado chegam a perder mais de 50% de suas propriedades.

Os Cabos de Aço são itens comprados prontos e há uma variedade de modelos. Durante o uso deve ser observado o estado de conservação externa com relação a presença de oxidação, rompimento da malha e ainda fadiga que gera um entorse definitivo do mesmo.

As Correntes são bastante utilizadas, também estão à venda com variedades, com qualidades muitas vezes duvidosas devido aos inúmeros fabricantes .Seu uso normalmente ocorre nos casos de peças que vão ser tratados em banhos químicos como nitretação, decapagem e outros sendo geralmente peças pequenas mas, acaba também sendo utilizado para transporte e manuseio do ferramental e na maioria das vezes em talhas. O fechamento normalmente é feito com parafuso e porca o que desperta cuidados.


Para uso dos Magnéticos, há regras que devem ser seguidas conforme orientação do fabricante. A maneira como cada um utiliza faz a diferença. Ressaltamos que é muito importante seguir as orientações do fabricante pois, o uso de magnéticos em peças que estejam com temperatura acentuada deve ser averiguado para eliminar possíveis ocorrências pois, o magnético perde a função.

Em alguns casos a face da peça a ser utilizada para o transporte está com o acabamento pronto, sendo retificada e lubrificada e colocam se pano ou papel para se proteger de riscos e isso deve ser observado pois, cria interferência na união entre peça e magnético.

 

Não se deve insistir no uso quando a face da peça a ser transportada não for suficientemente adequada para que a fixação seja confiável.

Para que haja conservação adequada e sempre pronto para utilização todo equipamento ou meio auxiliar seguindo as regras do 5S, deve ter um local apropriado para quando estiver fora de uso.
Que o texto sirva como alerta pois, é o que vivenciamos no dia à dia e toda e qualquer colaboração é bem vinda. As fotos pesquisadas são reais e algumas absurdas que mostram uma realidade perigosa. Nos resta esperar que o bom senso esteja sempre presente e que as condições de trabalho sejam favoráveis. Lembramos ainda que a padronização deve ser sempre uma prioridade para que os meios utilizados facilitem o trabalho.

Publicação Autorizada ao Portal Moldes Injeção Plásticos

Hamilton Nunes da Costa
Matrizeiro Especializado em Moldes
Técnico mecânico
CREA 126.785

 

Publicação Autorizada ao Portal Moldes Injeção Plásticos.

Top