Você está em
Home > Notícias > EMBALAGENS VAZIAS COM DESTINO CERTO A 17 ANOS

EMBALAGENS VAZIAS COM DESTINO CERTO A 17 ANOS

 

Embalagens vazias com destino certo A 17 anos

O Programa de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos, desenvolvido pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), será um dos temas do primeiro dia de trabalho do Agro-Phyto 2017, do Centro de Cooperação para Estudos Científicos em Tabaco (CORESTA). Cientistas do tabaco de 22 países estarão em Santa Cruz do Sul para o evento e vão conhecer o case de sucesso que já retirou 14,8 milhões de embalagens do campo, destinando-as para centrais de recebimento e triagem credenciadas pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV).

A apresentação acontece no dia em que o programa completa 17 anos, na próxima segunda-feira, 23 de outubro. O coordenador do programa, Carlos Sehn, repassará informações sobre o processo de coleta e como ela beneficia os pequenos produtores integrados ao setor, além de toda a sociedade. “Ao recolher as embalagens, o programa preserva o meio ambiente, assegurando ainda a saúde e a segurança do produtor e da sua família“, destaca Sehn.

FATOS SOBRE O PROGRAMA
• Criado no ano 2000, o programa antecedeu a legislação de 2002 que determina a devolução das embalagens às suas respectivas origens;
• Atualmente 550 municípios do Rio Grande do Sul e Santa Catarina são atendidos pela coleta itinerante que percorre 2,6 mil pontos de recebimento na zona rural;
• O programa beneficia um universo de 120 mil produtores de tabaco gaúchos e catarinenses, com comodidade e segurança na devolução dos recipientes tríplice lavados em pontos de coleta localizados próximos de suas propriedades;
• Ao todo, oito regiões produtoras de tabaco fazem parte do roteiro;
• Até 23 de novembro, o programa itinerante percorre a região Noroeste do Rio Grande do Sul, beneficiando 128 municípios produtores de tabaco. A partir de 04 de dezembro até 24 de janeiro, será a vez do Litoral Sul de SC;
• Quem adere ao programa e entrega as embalagens tríplices lavadas, ganha recibos – fundamentais para apresentação aos órgãos de fiscalização ambiental.

Usa pouco, recolhe muito.
O número de embalagens recolhidas pelo programa do setor pode dar a impressão de que utilizamos muito agrotóxicos, quando na verdade somos o que menos utiliza, segundo apontaram pesquisas. Além disso, os produtores de tabaco podem destinar ainda as embalagens utilizadas em outras culturas“, destaca o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke. De acordo com pesquisa conduzida pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ-USP), o tabaco está entre aquelas que utilizam menos ingredientes ativos por hectare, em torno de 1,1 kg de IA/HA.

CORESTA AP 2017 – O Agro-Phyto 2017, do Centro de Cooperação para Estudos Científicos em Tabaco (CORESTA), acontece entre 23 e 26 de outubro, na Universidade de Santa Cruz do Sul, com a presença de técnicos, engenheiros agrônomos, fitopatologistas, geneticistas, pesquisadores, professores universitários e profissionais ligados ao setor. Segundo a comissão organizadora, 260 especialistas em tabaco confirmaram presença no evento que tem caráter de trabalho e, portanto, não é aberto para participação da comunidade. Ao todo serão 72 trabalhos, sendo 60 apresentações orais e 12 no formato de pôster. De cunho científico, estão relacionados às áreas de agronomia e fitopatologia, abordando experimentos sobre produção de sementes, mudas, fertilização, tratos culturais, cura e armazenamento do tabaco, controle de pragas e doenças, redução e substituição de agrotóxicos, além da produção sustentável do tabaco. Mais informações no site www.corestabrazil.com          Foto: Divulgação

Fonte: MSLGROUP Andreoli

Deixe uma resposta


Top