Você está em
Home > Notícias > FEIRA PLÁSTICO BRASIL É A BOLA DA VEZ, DE 25 A 29 DE MARÇO

FEIRA PLÁSTICO BRASIL É A BOLA DA VEZ, DE 25 A 29 DE MARÇO

 

 

 

FEIRA PLÁSTICO BRASIL É A BOLA DA VEZ, DE 25 A 29 DE MARÇO

A PLÁSTICO BRASIL – Feira Internacional do Plástico e da Borracha registrou aumento na quantidade de solicitações de credenciamento dos visitantes profissionais, na comparação com mesmo período da edição anterior. O grande interesse da cadeia do plástico e da borracha pela feira se justifica, pois nesta sua segunda edição, já se consolidou como o maior evento do setor na América Latina: a área de exposição está 20% maior, com a chegada de 84 novas empresas expositoras.

Com a intenção de auxiliar aos profissionais do setor plástico, principalmente aqueles que nos dão o seu credito, fizemos um resumão sobre o evento, as atrações da feira e lançamentos a serem conferidos. O evento acontece de 25 a 29 de março no São Paulo Expo.

Simperj e Firjan levam empresários à Feira Plástico Brasil 2019

(Fonte: Assessoria de Imprensa Firjan)

Com o objetivo de proporcionar às empresas do setor do plástico fluminense visitas às feiras de referência, onde os empresários têm a oportunidade de acessar novas tecnologias, realizar benchmarking, desenvolver parcerias e negócios, o Simperj (Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro) e a Firjan promovem a caravana para a Feira. Este ano, o grupo contará com cerca de 30 empresas mais especialistas setoriais da Federação das Indústrias do Rio.

A participação é feiras é fundamental para o empresário. É momento para ele se atualizar sobre novas tecnologias e conhecer novos parceiros. A indústria 4.0 começou com a transformação do plástico, principalmente na Alemanha alguns anos atrás. Aqui no Brasil ainda estamos atrás dessa realidade e precisamos diminuir esse gap tecnológico”, destacou Marcelo Oazen, da Plastlab e vice-presidente do Simperj.

Protagonista da transformação da indústria no estado do Rio de Janeiro, a Firjan apoia institucionalmente o evento. A federação considera que ações que promovam os setores industriais são capazes de gerar conexões que desenvolvam e fortaleçam a indústria, gerando riqueza e empregos para o estado. Nesse sentido, as caravanas às feiras setoriais são de extrema importância.

 

Participação de expositores internacionais

Um total de 69 empresas de 13 países escolheram a feira para se relacionar com a indústria brasileira e aproveitar as oportunidades de uma economia em ascensão.

Este número de expositores internacionais vindos da Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Suíça, Taiwan e Turquia representam um incremento de 122% sobre a edição inaugural. Para acomodá-los, a área de exposição destinada aos estrangeiros quase dobrou, reforçando o caráter internacional da feira. Os visitantes profissionais poderão estreitar relacionamento e conhecer as novas soluções e tecnologias destes fabricantes em estandes individuais dispostos ao longo da feira e também nos quatro pavilhões internacionais: Alemanha, Áustria, Itália e China.

 

Eventos integrados contribuem para o desenvolvimento

Aliada à realização de negócios e às inovações apresentadas, a feira contribui para o desenvolvimento comercial, tecnológico e profissional da cadeia do plástico e da borracha por meio de uma programação técnica com mais de 80 horas. São seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, ministrados por especialistas brasileiros e estrangeiros, autoridades, empresários e instituições de ensino.

Confira as atrações confirmadas até o momento:

SMED (Single Minute Exchange of Die) Diminuir o tempo de setup para melhorar a produtividade tem sido um dos grandes desafios da atividade industrial nas últimas décadas. Fiel à proposta de contribuir para a capacitação e o desenvolvimento tecnológico dos transformadores e demais elos da cadeia do plástico e da borracha, a Plástico Brasil 2019, em parceria com as empresas Staubli e Romi, apresenta a nova versão do espaço “SMED – Single Minute Exchange of Die – Troca Rápida de Moldes”, presente desde a edição inaugural, em 2017. No SMED (metodologia que tem como objetivo a redução do tempo de setup para menos de 10 minutos) demonstrado neste ano e inédito na América Latina, os visitantes poderão assistir ao vivo uma máquina realizando a troca de moldes de maneira totalmente automatizada, sem interação humana.

Veja mais      https://youtu.be/VlCW0adUfRA

 

O ABC 2019 – 1º ABINFER BUSINESS CENTER traz uma ampla área para exposição de ferramentarias e fornecedores da cadeia de fabricantes de ferramentais. Além de conhecer as novidades e tecnologias dos expositores, os visitantes podem participar de painéis de negócios e palestras que irão discutir as oportunidades e desafios do setor.

Iniciativa da Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais – ABINFER – e da Plástico Brasil, o espaço é uma ação arrojada para as ferramentarias nacionais associadas à entidade e está ancorada nas expectativas de melhoria do mercado com a aprovação do Programa Rota 2030 e do Pró-Ferramentaria, bem como da elevação significativa do índice de confiança.

Veja mais    https://youtu.be/6ptTWf8yrig

 

Parque das ideias

Conheça projetos inovadores dasprincipais universidades de engenharia do país e participe de palestras realizadas pelos professores e expositores da feira.

O projeto promove a aproximação entre universidades e o setor produtivo, fator preponderante para o desenvolvimento tecnológico – e, por extensão, econômico e social – dos países industrializados. Neste espaço, onde o conhecimento é o maior objetivo, algumas das maiores instituições de ensino do Brasil apresentam seus projetos de inovação e ministram palestras sobre temas relevantes e estratégicos para a indústria do plástico.

Escolas técnicas e empresas expositoras que desenvolvem e utilizam soluções inovadoras para a indústria também têm presença garantida na grade de palestras. Neste ano, dois temas receberão atenção especial: Design de Embalagens e Reciclagem & Sustentabilidade.

Veja mais   https://youtu.be/Pt3l0tqaO3k

 

 

SENAI – Escola Móvel de Indústria 4.0 – A Evolução da Automação

Uma inovadora e moderna estratégia de ensino que visa capacitar novos profissionais para atuar no novo cenário industrial, contribuindo para a atualização do parque industrial e do capital humano.

A unidade móvel integra as mais importantes tecnologias habilitadoras da Indústria 4.0, tais como a Inteligência Artificial, Realidade Aumentada, Realidade Virtual, Técnicas de Manufatura Aditiva: Prototipagem e Impressão 3D e Redes Industriais aplicadas à Indústria 4.0. Além dessas há a Robótica Avançada, Sensoriamento, Análise de dados, Internet das coisas (IoT) e Computação em nuvem.

 

SEBRAE Móvel

Uma unidade do SEBRAE Móvel, projeto inovador que funciona como um escritório sobre rodas vai oferecer gratuitamente conteúdos sobre empreendedorismo e gestão a empresários e empreendedores visitantes da Plástico Brasil. O veículo é equipado com todos os instrumentos necessários para a realização de atendimentos presenciais feito por funcionários do SEBRAE-SP, e oferece auxílio a todos os interessados em ter seu próprio negócio ou melhorar os resultados.

Os assuntos incluídos na prestação do serviço incluem plano de negócios, orientações sobre gestão, formalização de microempreendedor individual (MEI), entre outros. O SEBRAE Móvel ficará localizado ao lado do Parque de Ideias, espaço da feira com foco no conhecimento e que contará também com palestras ministradas por especialistas do SEBRAE-SP.

 

PET Talk

Realizado pela ABIPET (Associação Brasileira da Indústria do PET), é o maior encontro do ano para o setor de embalagens PET. Durante dois dias, serão apresentadas e debatidas as novas tecnologias, cenários e temas atuais desta indústria.

A conferência reúne a cadeia produtiva das Embalagens de PET, seus clientes e parceiros – além dos interessados em conhecer mais sobre o setor. Atrai quem está diretamente ligado à produção ou reciclagem das embalagens de PET, mas a amplitude de informações é extremamente relevante também aos Brand Owners, fornecedores de insumos, de equipamentos e todos os interessados e envolvidos, direta ou indiretamente, com o setor do PET e dos termoplásticos em geral.

As inscrições devem ser feitas diretamente com a ABIPET

 

Especial Plastivida de Sustentabilidade

Dentro do nosso Parque de Ideias você confere o Especial Plastivida de Sustentabilidade, que traz palestras com um foco específico no tema.

Palestras-

– Lixo nos mares  – ações do setor para enfrentar o problema

Palestrante: Professor Dr. Alexander Turra — Instituto Oceanográfico da USP

 

– Reciclagem de EPS

Palestrante: Vanessa Vilata — Comitê de EPS Plastivida

 

– Sustentabilidade da Indústria Plástica na Argentina : problemáticas locais e internacionais

Palestrante:  Verônica Ramos – Diretora Executiva da Ecoplas

 

– Panorama Legislativo

Palestrante: Fernando Chaib – Assessor Legislativo da Plastivida

 

– Política nacional de resíduos sólidos

Palestrante: Silvia Piedrahita Rolim – PLastivida

https://youtu.be/2lRV3XZuNZo

 

 

Evento vai atender indústrias que buscam investir na modernização de suas unidades

Pesquisa divulgada pela consultoria Deloitte em novembro revelou que 97% dos empresários brasileiros pretendem fazer algum investimento em 2019. Destes, 30% querem substituir e/ou adquirir novas máquinas e equipamentos, e 13% pretendem ampliar o parque fabril.

Mostra também, que 46% deles têm expectativa de aumentar os investimentos em equipamentos e 42%, em mantê-los no mesmo patamar de 2018 (foram entrevistados representantes de 826 organizações de 32 segmentos econômicos que, juntos, tiveram receita de R$ 2,8 trilhões, ou 43% do PIB nacional).

Este cenário confirma o evento como um a oportunidade de negócios para os transformadores e fabricantes que precisam ampliar ou modernizar suas plantas fabris a fim de ganhar competitividade para atender o aumento da demanda que se anuncia.

Setores que utilizam o plástico e a borracha de forma intensiva em seus processos e produtos vêm reagindo à retomada da economia e estão em linha com a expectativa positiva apontada na pesquisa da Deloitte.

O caso da indústria automobilística é o mais emblemático. O crescimento de 45% na produção de carros entre 2018 e 2022, previsto pela Anfavea neste ano, provavelmente será revisto tendo em vista a assinatura do decreto que regulamenta o programa automobilístico Rota 2030, em novembro.

Entre outros benefícios que aumentam a segurança do setor para fazer investimentos e gerar empregos, o Rota 2030 cria um incentivo fiscal de até R$ 2,1 bilhões por ano para que as montadoras invistam em tecnologia e desenvolvimento de produtos no País. Também reduz em até 3% o IPI de carros Flex e até 2% o dos demais veículos, em caso de cumprimento da melhora de eficiência dos automóveis em 11%, estabelecida pela nova política.

As montadoras, por sua vez, deverão investir R$ 5 bilhões ao ano em pesquisas e desenvolvimento. Outras indústrias caminham na mesma direção: eletrônicos e bens duráveis tem expectativa de aumentar a produção em 7% neste ano (fonte: Abinee); a de cosméticos prevê crescer 7,5% (fonte: Abihpec); a farmacêutica, entre 6,9% e 9,3% (fonte: Sindusfarma); e a de alimentos e bebidas, em torno de 3% (fonte: Abia)

 

Setor de Impressão 3D em destaque

A feira reunirá empresas que atuam como fornecedoras de equipamentos ou insumos para os processos de manufatura aditiva, também conhecidos como impressão 3D.

A prestação de serviços neste segmento também é fundamental, sendo que, em alguns casos, a mesma empresa fornece os equipamentos e oferece serviços valendo-se da flexibilidade e da diversidade de oportunidades de negócio que esta crescente atividade oferece.

Os visitantes da Plástico Brasil poderão contar com importantes marcas da impressão 3D, como UP3D, Perfilpolimer, AE3D, Fastparts e SKA, que demonstrarão a utilidade desta tecnologia para o setor do plástico.

Embora o processo não seja mais uma novidade, a manufatura aditiva se mostra cada vez mais promissora. E não é para menos, já que a técnica tem avançado não só na fabricação de componentes e bens para o uso imediato, mas também no ambiente industrial, onde se faz desde a execução de pequenas séries de peças plásticas e produção de ferramentais, até dispositivos auxiliares de fabricação, ou ainda a confecção de componentes metálicos finais, com grande característica técnica.

De suma importância, a impressão 3D realiza suas operações em diferentes tipos de processos, entre os quais sinterização seletiva a laser, estereolitografia, modelamento por deposição de material fundido, impressão por jato, sinterização direta a laser, fusão por feixe de elétrons e laminação de deposição seletiva. Hoje, a impressão 3D tem sido aplicada até na confecção de dispositivos de auxilio á manufatura, inclusive, com o uso de filamentos transparentes e antiestáticos. Há também equipamentos que processam materiais dissimilares simultaneamente.

 

Variedade de tecnologia e equipamentos para a reciclagem

De acordo com a Fundação Instituto de Administração (FIA/USP), atualmente a indústria recicla 25% do plástico, em especial as embalagens, o que comprova o enorme potencial desta atividade.

A programação do Parque de Ideias vai se engajar no tema. Além das palestras apresentadas no Especial Plastivida de Sustentabilidade, a TriCiclos, empresa de engenharia de economia circular aplicada, vai fazer a apresentação “Demanda Tecnológica para Plásticos Mais Sustentáveis”. A área de exposição da feira, por sua vez, reflete o constante investimento em pesquisa e desenvolvimento feito pelos fornecedores de máquinas voltadas para o processamento de resíduos plásticos de origem pós-consumo ou pós-industrial.

Entre as grandes marcas que levam para a Plástico Brasil 2019 seus equipamentos e soluções voltados para operações primárias e secundárias, bem como para a separação do plástico, estão Seibt, Wortex, Wefem Extrusores, Tria do Brasil, Kie Máquinas, Shini, Rone Moinhos, Rocla, Lindner, Erema Plastic Recycling Systems, Erema Group, Atema e Steinert.

A Steinert destaca o separador Unisort Film, destinado à separação de plástico filme para reciclagem. O equipamento possui uma esteira de aceleração de alta velocidade que permite atingir 4,5 m/s, resultando em um rendimento de 50% a mais em relação aos sistemas convencionais. Dois equipamentos desenvolvidos para trabalhar com plásticos e materiais escuros também serão apresentados pela marca aos visitantes da Plástico Brasil 2019.

O primeiro é o Unisort Black, usado para a separação de plásticos escuros. Já o Unisort Blackeye faz a separação de plásticos na cor preta por tipo, sendo o primeiro separador ótico lançado no mundo para esse tipo de aplicação.

Wortex Máquinas: fabricante de equipamentos para a indústria plástica, destacará na Plástico Brasil 2019 suas soluções de ponta para reciclagem. No estande da empresa, o visitante poderá conferir in loco novidades como a Linha Challenger Recycler Geração II, agora aprimorada, e a Linha Challenger Recycler Conical 55mm, de dimensões compactas e que estará em operação durante o evento. A Linha Challenger Recycler Geração II se destaca pela flexibilidade.

Além da capacidade de processar somente materiais flexíveis ou rígidos, a máquina permite o trabalho com até 20% de rígidos agregados a flexíveis (filmes lisos, impressos, metalizados e multicamadas, entre outros). É possível reciclar variados tipos de termoplásticos, entre eles polietileno, polipropileno, poliestireno, policarbonato e ABS. A produtividade é de até 750 quilos por hora.

A Linha Challenger Recycler Geração II recebeu uma série de aprimoramentos mecânicos e eletrônicos. As melhorias compreendem, por exemplo, avanços na degasagem de materiais altamente impressos. Um sistema opcional de dupla filtragem viabiliza o processamento de materiais com níveis maiores de contaminação. Segundo a empresa, a deterioração no processo de extrusão é o mínimo possível e o sistema de granulação garante maior rendimento e homogeneidade na produção. Desse modo, o resultado é material reciclado de altíssima qualidade obtido a ao menor custo de produção do mercado.

Por sua vez, a Linha Challenger Recycler Conical 55mm, compacta (moinho e máquina ocupam 27 m2), proporciona uma solução ideal para reciclagem ao pé da máquina (aparas industriais limpas) de filmes lisos de polietileno e polipropileno. A capacidade de produção é de 90 quilos/hora, no trabalho com polietileno, e de 60 quilos/hora, no trabalho com polipropileno.

O equipamento oferece baixíssimo consumo de energia aliado a processamento veloz e de alta qualidade. Um exemplar do equipamento estará em funcionamento no estande da Wortex Máquinas durante todo o período da feira. Além das variadas linhas de granulação/reciclagem, capazes de produzir até 2.500 quilos/hora, em seu estande a Wortex também divulgará extrusoras, sistemas de seleção/preparação, linhas de lavagem e a gama de roscas e cilindros para máquinas de injeção, sopro e extrusão.

Vídeos mostrarão equipamentos em operação e o funcionamento do complexo industrial da empresa, em Campinas (SP). Comprometida com a importância da reciclagem para a indústria de plástico, a Wortex investe constantemente em pesquisa e desenvolvimento de novas soluções que tenham, principalmente, custo acessível a fim de viabilizar a reciclagem de diversos tipos de materiais.

São máquinas com elevado conteúdo tecnológico, que resultam em produtos confiáveis nas áreas de separação e materiais provenientes da coleta seletiva, sistemas de lavagem e extrusão, tais como sacos de lixo, sacos para embalagem de uma maneira geral, tubos de irrigação, madeira plástica, compostos de materiais de engenharia, entre outros”, ressalta Paolo De Filippis, diretor geral da empresa.

Rone Moinhos: sinônimo de moagem de plásticos comprova seu renome no ramo com um lançamento na medida: moinhos granuladores da linha C, com capacidade no espectro de 10 a 6.000 kg/h e diferenciados pela segurança e economia de energia.

Steinert Latinoamericana: Tecnologias de separação magnética e por sensores compõem o prato de resistência da centenária grife alemã Steinert. Na feira, sua subsidiária no Brasil enfatiza as virtudes de dois equipamentos para trabalhar com plásticos e materiais pretos e escuros. Unisort Black separa plásticos e materiais pretos de outras cores, enquanto Unisort Blackeye realiza a separação ótica de plásticos pretos por tipo. No arremate, a empresa distingue no estande as vantagens do modelo Unisort Film, destinado à separação de filme para reciclagem.

Equipamentos Auxiliares

Os equipamentos auxiliares que trabalham paralelamente aos processos de injeção do plástico (periféricos, robôs e demais equipamentos), são tão importantes para os transformadores quanto as injetoras. Também este segmento está muito bem representado

Atenta às tendências do mercado, a HDB lançará na feira uma linha de injetoras-sopradoras (injection-blow). A Exacta é ideal para a produção de frascos em HDPE, PP, HDPE, PS e acrílico a partir de 1 ml até 1 L. Ela fabrica também produtos farmacêuticos, para cosméticos, bebidas, recipientes diversos, entre outros. Seu processo requer 25% a menos de material, sem que seja necessário a participação do operador, inclusive.

A Refrisat leva seus produtos, que contribuem com o ambiente do chão de fábrica e a transformação dos plásticos de engenharia. A empresa lançará a mais recente versão do Drycooler. Trata-se de uma torre de circuito fechado, com sistema de resfriamento de líquidos, que opera em conjunto com o ar do ambiente. Repaginado, o equipamento ganhou um conceito mais leve, sustentável e eficiente. Pela primeira vez na Plástico Brasil, os climatizadores de precisão da Refrisat também terão destaque no estande da marca.

De acordo com a empresa, eles são usados em grande escala em datacenters de grandes fábricas, onde o controle da temperatura é essencial. Para completar, a empresa levará toda sua linha de Chillers, unidades de água gelada, termorreguladores, unidades de ar seco e desumidificadores de moldes.

Outra participante no segmento de equipamentos auxiliares é a MH Equipamentos.

MH Equipamentos: Atuante em periféricos e na montagem de extrusoras mno e dupla rosca, a empresa lança na feira o misturador de container MH-200. É recomendado para mistura a frio e pré-mistura de polímeros. Em paralelo, a empresa promove sua representação da linha de instrumentos de análises de materiais e ensaios de laboratório da espanhola Metrotec.

Já a Rax destacar em seu estande a sua linha de equipamentos para alimentação, dosagem e desumidificação. Entre as novidades, novos dosadores gravimétricos para até seis componentes.

 

Haja resistência ao impacto

Novidades de tirar o fôlego roubam a cena na Plástico Brasil

 

(Fonte: Plásticos em Revista)

Arburg: ponta de lança mundial em tecnologias desde injeção à impressão 3D, a alemã Arburg ocupa a vitrine de seu estande com uma automatizada injetora híbrida para embalagens de parede fina em ciclo rápido e que incorpora sistema de rotulagem in-mould label (IML).

Autonics do Brasil: focada na automação industrial para redutos como moldes, injeção, autopeças e produção e envase de embalagens, a empresa lança o sensor de visão VG-C (colorida). Munido de circuito integrado CMOS de 1/3 de polegada e lente focal efetiva de 8 mm, o novo sensor acena com inspeções de alinhamento, brilho, contraste, área, borda, comprimento, ângulo, diâmetro e número de objetos. Com iluminação integrada na cor branca, o lançamento permite a criação de até 32 configurações de grupo de trabalho e 64 pontos de inspeção por grupo.

Outros recurso e facilidades englobam capacidade máxima de 60 frames por segundo, resolução de 752 x 480 pixels, trigger interno e externo, quatro entradas e quatro saídas (NPN ou PNP programável), e rede de comunicação ethernet com software de programação Vision Master, este fornecido gratuitamente.

Baumüller: o aumento da produtividade de injetoras, sopradoras e extrusoras norteia a trajetória da alemã Baumüller Nürnberg em automação industrial. Em seu estande, ela exibe seu poderio no segmento lançando uma servobomba com acoplamento direto e dois acionamentos da série b maXX: o tipo multieixos 5300 e o mono eixo 5500.

Bausano do Brasil: na ativa há 73 anos, a italiana Bausano monta desde 1999 extrusoras para compostos,tubos e perfis no Brasil. O centro das atenções no estande é a extrusora dupla rosca MD-130-25 Plus. Dotado de novo comando e avanços na geometria de roscas, o modelo tem potencial para produzir até 1.300 kg/h de PVC flexível e compostos microexpandidos do vinil.

Branqs: a automação a tiracolo da produção inteligente, codificada como Indústria 4.0, traduz oportunidades de negócios que a Branqs começa a desbravar. Prova disso é a vedete do estande: a máquina básica monitorada por CLP da empresa, ensejando o repasse das informações de processo aos sistemas corporativos do transformador.

Brasfixo: metalúrgica assentada em soluções de fixação, redução do set-up, movimentação e armazenagem, a Brasfixo marca território na feira com o lançamento do tombador de moldes, com capacidade alojada entre 3 e 100 toneladas. Entre os diferenciais do equipamento acenado para transformadoras e ferramentarias, sobressaem o tensionador de corrente, mesa revestida de poliuretano, olhal de içamento, corrente de rolo, transporte viável por empilhadeira, botoeiras de controle remoto e painel com inversor de frequência.

BY Engenharia: a vedete do estande é um periférico montado pela empresa no Brasil sob licença da Gala/Maag: o sistema de granulação imersa em água e granuladores tipo espaguete. Seu foco é a produção de 500 a 2.000 kg/h de compostos em geral. O fecho do show da By Engenharia cabe à divulgação na feira da recém-chegada representação comercial, dos sistemas de beneficiamento de materiais da norte-americana Farrel Pomini.

Ecomaster Plásticos: à frente de uma capacidade de beneficiamento de resinas estimada em 2.000 t/mês, a cargo de duas plantas em São Paulo e Rio de Janeiro, a componedora joga luzes em seu balcão na feira sobre o composto carregado com carbonato de cálcio extra fino cuja aplicação alia economia de processo com a manutenção das características desejadas para o produto final. Em paralelo, a empresa promove na feira os préstimos de seu mix de aditivos:

antiestético, antiblocking, anti UV, antioxidante, antichama, antiodor, antifogging, auxiliares de fluxo e purga, antimicrobiano Ecoclean, branqueador ótico, expansor, desmoldante e dessecante Ecodier.

Eletroforming: com 47 anos de estrada, a Eletro-Forming tem nome feito na seleção nacional de termoformadoras e moldes para termoformagem. Esse poder de fogo é ilustrado no estande pela apresentação de duas novidades: a marca Lakatos (sobrenome de um dos fundadores da empresa, Jorge Lakatos) e a máquina TCM de três estações para moldar, cortar e empilhar embalagens de blisters, entre outros itens. Possui potencial para rodar, com movimentos por servomotor, na faixa máxima de 45 ciclos/min e, no trabalho com PET, sua capacidade produtiva varia de 20 a 45 ciclos/min em moldes de até 740 mm x 590 mm e o consumo energético é restringe-se a 24kW.

Engel/Beck: a suíça Beck Automation apresenta no estande da austríaca Engel, top em injetoras sem colunas, um sistema de rotulagem in mould label (IML) para copos de iogurte com rótulo sleeve. Sua performance poderá ser confirmada pela exibição em uma injetora e-motion 440/160T. O ciclo total de IML consome 2,5 segundos e a ferramenta de quatro compartimentos é assinada pela francesa Simon Fabrique du Moules, enquanto as etiquetas utilizadas são de filmes de poliolefinas da belga Verstraete IML. A instalação está equipada com sistema Vision da alemã Intravis para controle ótico da qualidade e seu fulcro é o componente IML Watcher, munido de câmaras e unidades de iluminação.

A utilização de materiais leves no braço principal, assim como a intervenção de motores lineares de alto desempenho, permite movimentos rápidos e dinâmicos ao equipamento da Beck. O eixo principal dispõe de dois motores de acionamento e o carregador de rótulos trabalha colocado inclinado, de forma que a película sleeve opera orientada com a imagem impressa voltada para baixo, minimizando assim a sua deformação. Do lado da Engel, sua operação chinesa, detentora da marca Wintec, estará a postos no estande através da injetora hidráulica T-win de duas placas e 450 toneladas.

FMConvert: A escalada no consumo de laminados e coextrusados, na garupa de mercados em erupção, como pet food, injeta sangue bom nos desenvolvimentos de linhas corte e solda de flexíveis da FM. Referência nessa direção é o lançamento na feira da máquina Pouch P4S-755S,apta a trabalhar a 50 m/min. Munida de servomotores e eletrônica Rockwell-Allen Bradley, seus chamarizes incluem o painel de operação touch screen de 10 polegadas com controle de temperatura, software desenvolvido internamente com armazenagem de todos os parâmetros de processo, receitas de estruturas flexíveis, além de rede ethernet de comunicação e programa de aplicação de ‘motion’ no CLP. Os ases na manga estendem-se pela fotocélula de contraste para registro de impressão, com sistema bidirecional “autonominal”, servomotores na tração do filme e com ajuste de tensão.

Frigel Latino América: com cama e mesa feitas em equipamentos de refrigeração e ventilação, a empresa magnetiza visitantes para seu estande com a apresentação do equipamento Drycooler, padrão de excelência no resfriamento de líquidos. No arremtate, a empresa divulga sua expertise em refrigeradores de água, termorreguladores pressurizados e robustos chillers.

G4 Máquinas: uma trinca de novidades compõe a aposta da empresa para o ibope do seu estande chegar ao topo: os equipamentos de corte e solda TOP SAC, a linha HORT ROLL, de bobinas picotadas com fundo estrela e plano e, por fim, o equipamento TOP ROLL, para produção de saco de lixo em rolo picotado.

Hece: trem bala nacional em termoformadoras e linhas de corte e solda, a Hece agita seu pedaço na feira com o equipamento sob codinome SCW-700 III. Trata-se de linha de corte e solda de embalagens flexíveis como as de fraldas e pão de forma, com capacidade dimensionada em 400 sacos/min.

Herrmann Ultrassom: dedicada à tecnologia de solda ultrassônica de peças injetadas, a empresa acontece na feira com dois novos equipamentos, ambos com velocidade de processo na órbita de 0,2 a 0,5 segundo. Um deles é a máquina Ultracell com controlador Dialog de 20 KHz e gerador de ultrassom com potência de 4800 w. Além de comando intuitivo de soldagem e acionamento servopneumático livremente programável HMC, o lançamento dispõe de programação de até três forças de solda com acréscimo de força de retenção e a opção de cincos modos de solda, cuja qualidade é monitorada por análise gráfica e apoio de controle inteligente para reduzir a taxa de rejeição. O rol de inovações em exposição fecha com os geradores de ultrassom Ultraplast, dotados de rede com sinais inteligentes de sensor e fácil correção de falhas.

Hudson Sharp: as inovações na tecnologia de corte e solda de filmes dão o tom no estande da empresa. Entre elas, sobressai um patenteado sistema de pré-aplicação de zíper transversal, para envase automático ou pouches, e a máquina Wicketer com velocidade na faixa de 450-500 BPM, com acessórios automatizados e atividades de sistema de formação e coleta de pilhas a cargo de robô.

KraussMaffei: com a corporação ChemChina como sócia majoritária, a alemã KraussMaffei, formadora de opinião em injetoras e extrusoras, concentra os holofotes do seu estande na série PX.Tratam-se de injetoras elétricas diferenciadas pela modularidade e com forças de fechamento de 500 a 1.600 toneladas. São indicadas a setores dependentes de peças geradas com extrema precisão, caso das indústrias alimentícia e farmacêutica.

Lindner: na boleia da celebração ambientalista da reciclagem, a empresa lapida sua tecnologia de trituração e lavagem de plásticos pós-consumo. É esta a premissa por trás do lançamento na feira da lavadora de layout compacto, alternativa talhada para mercados emergentes, com procura por equipamentos no gênero caracterizados por porte e custo menores. Em paralelo, a Lindner estende o tapete de seu estande para o triturador monoeixo Antares 1300, de baixo desgaste e alto rendimento.

Mais Polímeros: com cadeira cativa entre as três maiores distribuidoras de poliolefinas da Braskem, a Mais Polímeros, presidida por Daniela Guerini (foto), abre as cortinas na feira para turbinar sua imagem institucional. Além de formalizar a abertura da quarta filial, em Santa Catarina, trunfo também justificado para impulsionar sua operação de plásticos de engenharia importados, a varejista paulista divulga bem sucedidas investidas como o desenvolvimento de palmilhas moldadas com EVA Verde (resultante de eteno derivado da alcoolquímica), fruto de composição tocada por seis mãos com a Braskem e a indústria têxtil Cofrag.

Máquinas Santoro: o pivô do estande é uma sacada ao estilo dois-em-um: a nova máquina para rebobinamento de sacos plásticos acoplada a um equipamento de corte e solda. Com produção situada no patamar de 30 a 60 m/min, o lançamento assedia a produção de sacos para alimentos, fármacos e implementos agrícolas.

MPhrs: com capacidade produtiva fixada em 300 unidades mensais, a empresa ressalta na feira sua excelência em sistemas de câmara quente. Constituídos por bloco distribuidor (manifold) e bicos aquecidos por resistências, eles visam conduzir o polímero da injetora às cavidades do molde, sem alterações no índice de fluidez, evitando assim as variações e defeitos em peças injetadas como brindes, brinquedos, descartáveis e utensílios domésticos.

MZA Soluções em Embalagens Plásticas: com 20 anos de milhagem de voo, esta transformadora sediada no interior paulista reluz na injeção de caixas industriais. Para acontecer na Plástico Brasil, a empresa divulga em seu espaço o palete de polipropileno modelo heavy, apto a suportar carga estática de 1.500 e cujas dimensões são 1.200 (comp.)x 1.000 (larg.) x 150 mm (alt.), e a caixa colapsível F-KLT, mão na roda para reduzir os custos de frete e armazenagem para setores como automotivo, farmacêutico, distribuição e varejo.

Nemoto Portugal: uma aquarela de pigmentos inorgânicos fluorescentes e fotoluminescentes é servida no estande dessa empresa de química fina. Sob o guarda chuva da marca LumiNova®, o mostruário exibe colorantes com diversos tamanhos de partícula e visíveis no escuro por até 30 horas.

Pavan Zanetti: nº1 nacional em sopradoras de poliolefinas e pré-formas, a Pavan Zanetti arrasa em seu estande com a nova máquina BMT 10.0D híbrida. Conta com sistema de avanço e recuo de mesa, programador de parison e movimentos de pinos de sopro acionados por motores elétricos, ponto a favor da economia energética e repetitibilidade. A depender do peso e formato do recipiente, o equipamento pode produzir duas bombonas de 10 litros ou quatro de cinco litros. No estande, ele será exibido soprando 900 unidades de embalagens/h.

Pintarelli: com portfólio de periféricos para sopro, a exemplo de testador de furos e cortadora de cabeças, a empresa promove os pontos altos de sua tecnologia mediante a divulgação por vídeos e catálogos.

Piovan: em 85 anos de estrada, dos quais 55 no setor plástico, a italiana Piovan metamorfoseou-se de um fabricante de equipamentos auxiliares em uma central de inteligência de soluções integradas para o processo de transformação, com sete fábricas em quatro continentes, inclusa unidade brasileira na Grande São Paulo.

Em seu estande, a expertise do grupo vem à tona em avanços como Quantum E, novo dosador gravimétrico por batch com controle contínuo da extrusão e até oito estações de dosagem modulares. Além da pesagem precisa, este periférico acena com completa rastreabilidade de cada componente da mistura de materiais destinados a filmes blown de embalagens.

Na mesma trilha, a Piovan distingue em seu espaço o auxiliar Ryng, medidor instantâneo de consumo de matérias-primas por máquinas básicas de transformação de plástico, solução tão engenhosa quanto outra atração na vitrine: Easy3+, desenvolvimento focado no gerenciamento de sistemas centralizados de alimentação e transporte, com touch screen de 7 polegadas.

As novidades prosseguem na série DPA, constituída de três modelos de desumidificadores por ar comprimido com capacidade na faixa de 5 a 40 kg/h. Na esfera da refrigeração, a Piovan ressalta na feira as qualificações de sua controlada Aquatech, fera no projeto e montagem de chillers e sistemas de refrigeração de água de processo. Um ponto alto do seu mostruário está na linha de frente do estande: o novo termochiller de duplo circuito Digitemp+, diferenciado por aumentar o rendimento das linhas de produção, ao aquecer e/ou resfriar o circuito de processo de injetoras, sopradoras, impressoras e calandras.

Fornece temperatura, pressão e vazão de água para cada circuito com extrema precisão. Outros ases de ouros expostos pela Aquatech: chillers portáteis MiniChiller Evo e Aryacool, solução sustentável para resfriamento (seco e adiabático) de água industrial em circuito fechado. O fecho de ouro da aparição da Piovan na feira cabe a duas soluções: o software de supervisão Winfactory 4.0, cujo pulo do gato é o total controle e otimização dos processos, e o sistema Winenergy, para análise e monitoramento do dispêndio de eletricidade nas fábricas transformadoras.

Plast-Equip: em 42 anos de ativa, a empresa conquistou cadeira cativa na trajetória dos periféricos nacionais para a transformação de plástico. Estas credenciais são ilistradas na feira pelo lançamento de dosadores gravimétricos modulares, de 2 a 6 componentes e capacidades entre 20 e 3.000kg/h, e pela introdução do software de aquisição de dados em tempo real e supervisão da produção de dosadores.

Polimáquinas: titular da seleção brasileira em linhas de corte e solda de flexíveis, a Polimáquinas a aproveita a oportunidade para lançar a máquina Polipouch 500. Idealizada para pouches com e sem zíper, ela opera com duas ou três soldas, seladores e conjunto de corte fly-knife. Conta com acionamento por servomotor, controle (longitudinal e transversal) de solda independente, para cada selador, e três conjuntos de rolos puxadores, para controle da tensão, em cada etapa do processo. A depender do tipo e formato do pouch, a capacidade do equipamento oscila de 80 a 100 embalagens/min.

Refrisat: focada em equipamentos de refrigeração industrial, a empresa agita o palco do estande com o lançamento de um modelo de drycooler, aprimorado na performance e preço. No embalo, a Refrisat promove a excelência no armazenamento de dados e economia energética apresentada por seu climatizador de temperatura.

Replas: à frente de quatro filiais no Sul-Sudeste e um portfólio integrado por PS e BOPP da Innova e marcas internacionais de poliolefinas, PVC e plásticos de engenharia, a distribuidora comandada há 37 anos pelos irmãos Marcos e Marcelo Prando (foto) elegeu como vedete do estande um produto da unidade transformadora de ambos os dirigentes, MM da Amazônia, à sombra dos incentivos fiscais da Zona Franca desde 2016: o filme plano de polipropileno (CPP), cuja alta tenacidade, facilidade de pigmentação, baixa absorção de umidade e resistência química e às intempéries o qualificam, entre os principais mercados na mira, para embalar alimentos.

Rosciltec: atuante no recuperação de componentes de máquinas básicas, a empresa aproveita a feira para divulgar a importância da manutenção de conjuntos plastificadores e comprovar a qualidade dos seus serviços por meio da exibição de peças retrofitadas e novas em folha.

Rulli Standard: na linha de frente das extrusoras nacionais para flexíveis, chapas e reciclagem, a fabricante dirigida por Luis Carlos Rulli (foto) ressalta em seu estande duas novas máquinas: a coextrusora de chapas termoformáveis EC-30+2xEC-2.1/2” e a extrusora de filmes EF-2.1/2” Evolution. No arremate, a Rulli Standard apresenta seus novos logo e design de equipamentos. Na selfie atual, a empresa atesta capacidade de montar, respectivamente, 15 e 25 unidades ao ano das linhas de placas e filmes exibidas na feira. A depender do tamanho e modelo, a empresa assegura condições de construir de 50 a 60 extrusoras ao ano.

Sepro do Brasil: dois modelos de robôs dão as cartas no estande da empresa. Para operar em injetoras de 200 a 450 toneladas é apresentado o robô 5x-25, com dupla rotação servomotorizada Staübli da gama premium. Por sua vez, o robô Strong 50 LDV S5 tem suas credenciais destaca no estande para trabalho com injetoras pesadas (de 1.100 a 1.800 toneladas), munido de dupla rotação servomotorizada Sepro da gama universal.

Valmasterb: nº1 em embalagens plásticas no Brasil, o conglomerado nacional Valgroup, com capacidade total de transformação na órbita de 400.000 t/a, opera no complexo em Manaus da controlada Valfilm a operação de beneficiamento de resinas da unidade de negócios Valmasterb. Na largada, a produção concentrava-se em compostos de poliolefinas carregados com carbonato de cálcio para uso cativo da corporação. Ao sabor do acúmulo de conhecimentos sobre aditivação, o mix cresceu com masters brancos e de aditivos. Pelas informações mais recentes divulgadas, a capacidade da componedora ronda 4.300 t/mês.

No pano de fundo, vale considerar que, conforme estimativa a grosso modo da voz corrente no segmento, o custo de produção de masterbatch de cores é decidido por pigmentos, com 80%, e resina, com 20%. Amarrando-se as pontas, a Valmasterb desfruta posição singular no seu mercado, pois o Valgroup adquire termoplásticos negociados a preços compatíveis com os megavolumes que consome e, para completar, a unidade no Polo Industrial de Manaus usufrui dois privilégios: importa com isenções tarifárias insumos como dióxido de titânio, o pigmento branco, e comercializa masters, compostos e aditivos para o restante do país na garupa de incentivos fiscais. Em seu estande, a Valmasterb expõe compostos de poliolefinas com carbonato de cálcio acenados para embalagens rígidas e flexíveis.

POLIMOLD http://moldesinjecaoplasticos.com.br/polimold-na-plastico-brasil-2019/

ROMI : http://moldesinjecaoplasticos.com.br/romi-apresenta-suas-principais-solucoes-e-novidades-na-plastico-brasil-2019/

 

Faça seu credenciamento gratuito:

https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html

 

PLÁSTICO BRASIL – Feira Internacional do Plástico e da Borracha

Data: 25 a 29 de março de 2019 Horário: Das 10h às 19h

Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – São Paulo – SP)

Iniciativa: ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química.

Promoção e organização: Informa Exhibitions

Fontes:

Assessoria imprensa Firjan

Feira Plástico Brasil –  https://www.plasticobrasil.com.br

Plásticos em Revista – http://plasticosemrevista.com.br/

Resumo Moldes Injeção Plásticos

 

 

Deixe uma resposta


Top