Você está em
Home > Moldes > ISOLAÇÃO TÉRMICA EM MOLDES PERMITE PRODUÇÃO COM EQUILÍBRIO E PROTEÇÃO

ISOLAÇÃO TÉRMICA EM MOLDES PERMITE PRODUÇÃO COM EQUILÍBRIO E PROTEÇÃO

 

Isolação térmica.
Quando falamos em isolação térmica, na verdade falamos em impedir que calores provenientes de um meio passe para outro meio que se deseja isolar. Isso pode ser feito com a aplicação de um material de baixa condutividade térmica, que diminua sensivelmente a propagação do calor. Mas,devemos entender que a isolação contra o a baixa temperatura ocorre da mesma forma do que contra o calor, só que em sentido inverso. Nesse caso, temos um meio com temperatura inferior a outro. De acordo com as leis do fluxo calorífico, a temperatura sempre tende do material mais quente para o mais frio. Aqui, o isolamento atua impedindo que o calor de dentro do ambiente se dissipe.

Condutividade térmica.
O fluxo de calor por condução ocorre via as colisões entre átomos e moléculas de uma substância e a subsequente transferência de energia cinética. Vamos considerar duas substâncias a diferentes temperaturas separadas por uma barreira que é removida subitamente, como mostra a figura.


Transferência de calor por condução.

Quando a barreira é removida, os átomos “quentes” colidem com os átomos “frios”. Em tais colisões os átomos rápidos perdem alguma velocidade e os mais lentos ganham velocidade. Logo, os mais rápidos transferem alguma de sua energia para os mais lentos. Esta transferência de energia do lado quente para o lado frio é chamada de fluxo de calor por condução. Materiais diferentes transferem calor por condução com diferentes velocidades. Esta é uma medida da condutividade térmica.

Condutibilidade.
Todas as matérias permitem uma propagação do calor, em maior ou menor quantidade, dependendo de suas propriedades. Essa propagação pode se dar de três formas sendo convecção, radiação e no caso dos metais a condutibilidade que ocorre quando o calor se propaga através dos corpos sem que haja movimento aparente dos mesmos. O coeficiente de condutibilidade se define como sendo a quantidade de calor (em Kcal) que atravessa 1m2 do corpo considerado por 1m de espessura, por hora e por uma diferença de 1oC entre as duas faces.

Pode ser definido pela letra K, e é ele quem caracteriza um corpo, do ponto de vista calorífico. Não há coeficiente de condutibilidade nulo, uma vez que todos os corpos apresentam calor. Os corpos Isolantes são aqueles que apresentam um coeficiente de condutibilidade com valores sempre muito baixos. Ou seja, são os materiais que menos transmitem o calor.

Isolantes térmicos
Chama-se isolante térmico um material ou estrutura que dificulta a dissipação de calor, usado na construção e caracterizado por sua alta resistência térmica. Estabelece uma barreira à passagem do calor entre dois meios que naturalmente tenderiam rapidamente a igualarem suas temperaturas.Há vários tipos de materiais sólidos que podem ser bons isolantes, isso depende da utilidade dada, a temperatura de trabalho, ao local de instalação entre outros. Podem-se utilizar como isolantes térmicos: lã de rocha, fibra de vidro, vidro celular, poliestireno expandido, poliestireno extrudado, espuma de poliuretano, aglomerados de cortiça, etc.Deve-se observar sempre que não existe isolamento térmico perfeito ou, em outras palavras, todo material ou estrutura constituída por alguma composição de materiais sempre conduz algum calor.

Os materiais para isolamento térmico à base de resinas especiais reforçadas com fibras (compostos orgânicos) foram especificamente desenvolvidos para soluções na isolação e proteção térmica. Sua aplicação é principalmente encontrada em prensas, moldes e injetoras que necessitam de caloria para fundir e curar materiais como borracha, madeira e plásticos sob pressões, transformando-os em produtos finais planos ou moldados. As funções principais das placas para isolamento são economizar energia calorífica ( pode atingir níveis de 50%) ,proteger os componentes críticos de aquecimentos ( como o sistema hidráulico das injetoras),reduzir e até prevenir tensões e deformações em prensas,injetoras e ferramentas de moldar. A isolação permite equilibrar a temperatura do molde possibilitando melhoria na qualidade do produto final.

 

                                                                                                     Para lado fixo do molde

Aplicação em moldes e equipamentos.
No momento de ajustar os parâmetros que controlam a temperatura do molde deve ser levado em consideração que da mesma forma que as temperaturas recomendadas para o polímero, o molde deve ser ajustado a partir de faixas de temperaturas recomendadas por fornecedores de matérias primas. O bom controle da temperatura na ferramenta é determinante sobre aspectos como acabamento da peça, tensões internas, contração e estabilidade dimensional.

Se a temperatura do molde for alta e possuir aquecimento, use placas de isolamento térmico entre o molde e as placas da máquina. Esta medida resulta em estabilidade térmica no molde e economia de energia. A temperatura da matéria prima e do molde devem estar estabilizadas e servirem de base para os próximos passos de otimização.Normalmente os termoplásticos de engenharia são injetados com temperaturas que variam entre 240° e 320°C. Existem casos especiais. Apesar da temperatura elevada, estes materiais podem ser processados sem problemas em equipamentos comuns, bastando utilizar mantas elétricas de maior potência .

 


Para lado móvel do molde

As placas isolantes no molde são utilizadas como componentes de função definida, no sentido de reter a temperatura do conjunto e também,encarregado de não permitir que essa dissipação de calor venha contribuir com o desgaste das placas de fixação do molde e da injetora.Todo molde tem seu tempo na injetora e toda injetora tem molde a todo tempo o que contribui para que nesse processo de troca constante ,o uso com aquecimento e resfriamento possibilite fadiga e empenamento da placa na injetora.

Quando não houver alta temperatura,ocorre a eliminação do componente.Até pouco tempo as placas de isolação recebiam amianto em sua composição e também tinham pouca durabilidade pois ,com o ressecamento as mesmas se rompiam facilmente e no intuito de eliminar esta reposição constante colocava se uma placa extra sobreposta a de isolação .Em algumas injetoras, já se utilizam a” fixação magnética” do molde nas placas da máquina então, também já se preparam os moldes para duas situações de fixação devido à possível troca de máquina.

Em caso de moldes para compressão de resinas termofixas,o tablete de pó pré aquecido é colocado na forma e recebe o “pico” de temperatura no momento da prensagem.O molde pode receber resistências de vários tipos ( cartuchos,cinta elétrica e outros) e nesses casos a utilização das placas isolante acabam sendo nas laterais e independente do formato que recebam, isola a região aquecida e da também a proteção de segurança ao operador e demais .Em caso de máquinas vertical são feitas adaptações com a colocação da placa isolante fixa na mesma e placa extra para fixação do molde


Produto RK Componentes Industriais

No caso de moldes para injeção,por ferramental são utilizados duas placas sendo uma para o lado fixo (lado injeção) com pelo menos um furo central necessário para centralização e entrada da resina além da fixação, e a outra com ou sem furos depende da necessidade para o lado móvel (lado extração).Há diversos fabricantes e variações tamanha de qualidade que se recomenda avaliação em alguns casos para que não se adquira o produto inadequado , independente de preço, para que se tenha o resultado esperado ,principalmente no caso de fabricação para terceiros onde se vende a idéia e se aguarda o resultado.


Compressão de Resinas

Critérios para escolha

Cada caso de aplicação tem sua característica típica, precisando de uma análise individual para sua isolação eficaz e econômica. Para a escolha da qualidade do isolador térmico mais indicado, alguns fatores devem ser considerados pois , tem influência direta na aplicação . Para esta análise é importante verificar a condutividade térmica , radiação térmica , temperatura operacional , absorção de água e resistência química , resistência à pressão / contração na espessura . Em muitos casos não será necessário isolamento e também , favorecendo uma redução de custo através de uma isolação dirigida

O mercado oferece uma linha completa de componentes industriais para as mais diversas aplicações sendo que há produtos de primeira qualidade a nível mundial, desenvolvidos em busca de auxiliar com soluções práticas, seguras e eficazes. A placas importadas da Alemanha que apresentam planicidade de 0,01 mm por cada 100 mm e suportam pressão de 340 MPA a uma temperatura de 23ºC e de 120 MPA, quando estão a 200ºC”.

Encontra se hoje materiais para isolamento térmico totalmente isentos de amianto ,feitos à base de resinas especiais
reforçadas com fibras (compostos orgânicos), especifícamente desenvolvidos para soluções na isolação e proteção térmica. Sua aplicação é principalmente encontrada em prensas, moldes e injetoras que necessitem de caloria para fundir e curar materiais como borracha, madeira e plásticos sob pressões, transformando os em produtos finais planos ou moldados. O processo de parceria com uma empresa que produz com qualidade ajuda a garantir a competitividade de sua empresa .

Formas de fornecimento e aplicações

Há diversos fabricantes e oferecem produtos com caracteristicas ou propriedades de acordo com desenvolvimento próprio,como por exemplo : Discos, Anéis e Peças Especiais — Sob consulta / projeto. Linha padrão em diversas dimensões, disponível sob consulta .As placas estão em linha padrão e sob consulta.

Material isolante térmico, isento de amianto até 250ºC na qualidade ISOL-SU1 / ISOL-SU2 disponível em diversas dimensões. Aplicação em máquinas injetoras para isolar o ferramental / molde. Possui resistência a pressão de 600/Nmm² e condutividade térimica 0,23 W/mK e proporciona ao usuário grande satisfação,aliada à relação custo-benefício.


Fonte: wikipedia ; www.rk.com.br
Publicação autorizada ao Portal do Moldes

Hamilton Nunes da Costa
Matrizeiro Especializado em Moldes
Técnico mecânico
CREA 126.785

 

Top