Você está em
Home > Notícias > KUKA LANÇA NOVA FAMÍLIA DE ROBÔS INDUSTRIAIS DE MÉDIO PAYLOAD

KUKA LANÇA NOVA FAMÍLIA DE ROBÔS INDUSTRIAIS DE MÉDIO PAYLOAD

Saiba mais sobre manutenção em molde:

KUKA lança nova família de robôs industriais de médio payload

A nova família KR IONTEC, sucessor dos consagrados KR 30/60, é adequada para inúmeras aplicações e é a primeira do mercado em que se pode alterar a capacidade de carga pela própria máquina.

A KUKA Roboter, especialista em robótica e automação, lança no mercado uma nova série de robôs, o KR IONTEC que estabelece novos padrões de flexibilidade nesta categoria de carga. Projetado tanto para operações convencionais, quanto simulações digitais, se destaca por sua grande versatilidade em seu envelope de trabalho.

O KR IONTEC é um equipamento de médio payload, para 30, 50 e 70 kg, com o melhor envelope de trabalho da categoria e menor base de instalação, que possibilita maior densidade de robôs na mesma área de trabalho. “Nesta nova família de robôs KR IONTEC há uma nova versatilidade onde é possível mudar a capacidade de carga do robô, entre 30 e 70kg, alterando apenas sua configuração via dados de máquina e o seu posicionamento aleatório. Até o momento é algo inédito no mercado”, diz o diretor geral da KUKA Roboter do Brasil, Edouard Mekhalian.


Máxima flexibilidade e pequena área de ocupação

O novo KR IONTEC pode ser utilizado em qualquer posição de instalação, seja no chão, teto ou parede, ou entre ambos. Além disso, com versões de alcance máximo de 3.100 mm, tem o maior envelope de trabalho da sua categoria. Os requisitos de espaço de instalação reduzidos do robô, com uma área de ocupação 30% menor e um contorno disruptivo 10% mais esguio que a família anterior, permitem layouts de células mais compactos, ou com maior agrupamento de equipamentos numa mesma área.

Menor custo de manutenção

Os custos de manutenção da família KR IONTEC são ainda mais reduzidos, pois demanda por um número menor de peças de reposição. Além disso, somente é necessário trocar de óleo após 20 mil horas de operação. Devido ao menor consumo de energia, resultante da tecnologia aprimorada de seus controles e da redução de peso do robô, os custos de operação também são mais baixos.

O novo KR IONTEC se destaca em termos de custo total de propriedade e ciclo de vida (TCO). A disponibilidade técnica é superior a 99% e o tempo médio entre falhas é de cerca de 400 mil horas de operação, desde que todas as operações de manutenção preventiva sejam executadas de acordo com as instruções do fabricante.

Pronto para o mundo da manufatura do futuro

O KR IONTEC está pronto para uso tanto no mundo da produção convencional, quanto no digital e possui vários modos de movimento. Estes complementos de software podem ser usados para adaptar o robô de forma flexível a diferentes processos de produção, apenas pressionando um botão. O Modo Performance garante, como padrão, alta performance e eficiência. O Modo Path permite um movimento de trajetória contínua exata em todas as velocidades, com precisão absoluta. Já o Modo Dynamic pode ser usado para minimizar os tempos de ciclo.

Fonte: Agência VitalCom

Conheça nossos Estudos:

01 – O Molde – pág. 05

Relação entre as partes do molde e injetora: horizontal e vertical – 07
02 – Classificação dos moldes de injeção – 10
a – Classificação por Placas Funcionais – 11
b – Classificação por Tipo de Extração – 16
c – Classificação pelo Tipo de Alimentação – 18
d – Outros tipos – 26
03 – Fatores que determinam a composição do molde – 29
Definição do número de cavidades

04 – Observações para projeto de ferramental de injeção – 34
05 – Considerações na escolha de aços para fabricação de moldes – 37
a – Uso do aço correto – 39
b – Requisitos especiais necessários em aços para moldes – 40
c – Conceitos e tipos de tratamentos aplicados aos componentes do molde – 42
d – Principais tratamentos térmicos aplicados em aços para moldes – 43
e – Deformações nos tratamentos térmicos – 43
f – Principais tratamentos de superfície aplicados em aços para moldes – 46

06 – Componentes do molde – 47

Descrição específica dos elementos que compõem um molde – 48

07 – Principais sistemas funcionais de um molde – 79
08 – Função do sistema de Cavidade e Macho – 81
09 – Função do sistema de Alinhamento – 82
10 – Função do Sistema de Alimentação – 84
a – Alimentação por Bucha de Injeção e Canais – 84
b – Tipos de seções para canais e características – 87
c – Definições sobre ponto de injeção e localização – 89
d – Tipos de Poço de retenção (ou poço frio) e sua função – 92
e – Alimentação por Sistemas de canal quente: considerações – 93
f – Vantagens e Desvantagens Econômicas com câmara quente – 100
g – Vantagens e Desvantagens Tecnológicas com câmara quente – 101
h – Configurações típicas de moldes com canais quentes – 102
i – Distribuidores de câmara quente e suas configurações – 103

11 – Função do Sistema de Ventilação – 108
Escape ou saída de gases e regras para fabricação – 112

12 – Função do Sistema de Refrigeração – 113
a – Estudo inicial de moldflow, importante otimizar circuito – 115
b – Influência da refrigeração com o tempo do ciclo – 116
c – Circuitos utilizado na fabricação do sistema de refrigeração – 118
d – Retrato da transferência de calor no processo de Injeção – 122

13 – Função do Sistema de Extração – 123
a – Ângulos de Saída e sua aplicação – 124
b – Principais soluções utilizadas para o sistema de extração – 125

14 – Montagem do molde – 131
a – Observações facilitadoras – 132
b – Plano geral de montagem – 132
c – Sequência das operações de usinagem na fabricação – 133

15 – Polimento em molde atende a vários requisitos – 135
Texturização, uma opção constante – 137

16 – Conhecendo a injetora e fases do processo de moldagem – 138
a) Fase de plástificação – 141
b) Fase de injeção – 142
c) Fase de refrigeração – 143
d) Fase de extração – 144

17 – Vida útil de um molde – 146

18 – Noções de injeção com auxílio de gás – 149

19 – Observações básicas para compra de um molde – 159

20 – Questões e respostas sobre o Estudo – 162

Deixe uma resposta


Top