Você está em
Home > Moldes > MANUTENÇÃO EM MOLDES DE INJEÇÃO, UMA TAREFA DIÁRIA

MANUTENÇÃO EM MOLDES DE INJEÇÃO, UMA TAREFA DIÁRIA

 

Não se pretende com este artigo ensinar ou corrigir procedimentos mas, como trabalhamos na área, sabemos que há setores que necessitam de referência para execução dos serviços. A ideia é que esse também possa servir ao ferramenteiro, como uma referência para a manutenção em moldes de injeção.

Todo molde em produção inicial deve receber uma estimativa em quantidade de peças produzidas, para que seja efetuada uma manutenção preventiva. Após esta primeira manutenção, já é possível com uma maior certeza definir as próximas paradas e também analisar a durabilidade e sugerir prazos para troca de elementos de reposição como anéis de vedação, limpeza e verificação do sistema de câmara quente e condições das peças que fazem movimentação constante (gavetas, travas e conjunto de extração).

Não é necessário salientar ou repetir que toda manutenção, neste caso em ferramentas de moldes para injeção termoplástica, deve seguir alguns procedimentos já utilizados ou até rotineiros dentro da empresa, mas, que nunca devem deixar de serem acompanhados. No momento em que se detectar algum tipo de problema durante o processo de injeção , até mesmo pela inspeção visual, sendo que o mesmo impossibilite uso do produto, à partir daí, já se faz necessário que as ações corretivas comecem a ser definidas para não acarretar prejuízos na sequência produtiva.

Um planejamento, o que não pode faltar, permite que no caso de interrupção de produção com um molde, outro seja colocado em máquina para uma seqüência de trabalho. O ferramenteiro é responsável pela execução da correção, porém, deve receber a assistência completa para que se trabalhe sempre com segurança e equipamentos manuais e máquinas em condições.No caso de necessidade de reposições ou serviços de terceiros também deve haver assistência.

É importante mínimas condições para a execução do trabalho pois, algumas empresas só prestam serviços de injeção e a obrigação e responsabilidade pela manutenção deve estar bem definida no processo.

A aplicação da manutenção preventiva nos moldes é prática que permite e visa manter o processo produtivo sem interrupções surpresas pois, os pontos frágeis que possam existir vão sendo eliminados, nestas paradas, feito com planejamento adequado. Moldes que contenham detalhes quebradiços, frágeis ou vulneráveis, sistema de refrigeração inadequado e até problemas com linha de fechamento podem ser corrigidos (ou melhorados) .

Em nossa visão, temos que encarar a manutenção = limpeza + revisão. A limpeza adequada do molde permite visualizar 100% das condições dos componentes, principalmente do conjunto de formas (cavidades macho e fêmea ) e na revisão, com a desmontagem e montagem da ferramenta é possível detectar folgas ou desalinhamentos entre formas e componentes em geral.

Em casos de moldes que não possuem nenhuma adversidade é importante seguir um roteiro de verificação, para que nada venha passar despercebido, algo que sempre acontece. Estes pontos de verificação devem ser enumerados de uma forma generalizada, porém, moldes com detalhes quebradiços, frágeis ou vulneráveis devem ter documentados os problemas para verificação à parte.

Durante o processo de injeção antes da parada programada, é importante que se liste as ocorrências que possam ter destaque e que de alguma forma possa prejudicar a produção e ainda a ferramenta, exemplo de peças ficando presas, gavetas riscando o produto ou ficando mal posicionadas, possíveis interferências entre colunas e buchas-guia, extração com trepidação ou travando, aparecimento de riscos em locais com têxturas ou polimentos. Ocorrência de vazamentos de fluído refrigerante .

Muitas ferramentarias em empresas que executam injeção, tem locais apropriados inclusive com prateleiras para guardar os moldes que estão momentâneamente fora do uso.O uso de uma capa de proteção para o ferramental seria importante para a conservação.Locais onde há movimentação constante com poeira que se levanta ou mesmo excesso de impurezas químicas no ar são inadequados. Moldes em que a estrutura (porta moldes) não recebem uma camada de oxidação para proteção devem receber uma camada de tinta protetora.

Publicação Autorizada ao Portal Moldes Injeção Plásticos.

Hamilton Nunes da Costa
Matrizeiro Especializado em Moldes
Técnico mecânico
CREA 126.785

 

Seja patrocinador do Portal do Moldes. Sua empresa vista por todas do ramo.

Top