Você está em
Home > Notícias > MERCOPAR: PÚBLICO QUALIFICADO E AUMENTO DE 43% NA PROJEÇÃO DE NEGÓCIOS

MERCOPAR: PÚBLICO QUALIFICADO E AUMENTO DE 43% NA PROJEÇÃO DE NEGÓCIOS

 

Fotos: Eduardo Rocha      Mercopar

Empresas destacam público qualificado e Projeção de negócios na Mercopar aumenta 43% em relação a 2016

 

Em média, cada um dos expositores realizou 77 contatos durante os quatro dias do evento

A 26ª Mercopar – Feira de Subcontratação e Inovação Industrial, realizada em Caxias do Sul, comprovou mais uma vez, que é um dos principais eventos geradores de oportunidades comerciais e de conhecimento na América Latina. De acordo com pesquisa realizada junto a expositores e empresas compradoras, a edição deste ano teve um incremento de 43% com relação aos números verificados no ano passado. Na média, cada um dos expositores realizou 77 contatos na feira, com possibilidades de novos negócios.

A projeção para os próximos 12 meses chega a R$ 69,3 milhões, levando em conta a movimentação nos estandes e também as reuniões na Rodada de Negócios. “É um número significativo que demonstra, na prática, o acerto que as empresas tiveram ao participar da Mercopar. Construímos um ambiente apropriado para as negociações, reforçando este novo momento de retomada do cenário econômico. Além disso, oferecemos uma série de eventos e palestras que disseminaram o conhecimento, sobretudo na área da inovação, tecnologia e Indústria 4.0, pois as empresas precisam estar preparadas para uma nova realidade. E quem tiver maior capacidade de se adequar, sairá na frente. Os modelos de negócios tradicionais precisam ser revisados”, afirma o diretor Técnico do SEBRAE-RS, Ayrton Pinto Ramos.

Outro dado significativo apontado pela pesquisa é de que 87% dos expositores pretendem participar da feira em 2018. Ampliar o número de clientes, divulgar seus produtos e a empresa no mercado, além de aumentar e diversificar o número de fornecedores, foram os principais objetivos neste ano. “A reação do mercado é inequívoca. O nome do jogo é velocidade e agilidade, com as pequenas empresas complementando o que as grandes não conseguem fazer. A Mercopar é um retrato do presente e uma projeção do futuro. O empresário brasileiro é bastante inovador e sabe que precisa investir para ser competitivo”, destaca Valério Regente, diretor-geral da Hannover Fairs Sulamérica.

Durante os quatro dias da Mercopar, os pavilhões do Centro de Feiras e Eventos Festa da Uva receberam um público de aproximadamente 13 mil visitantes.

Empresas destacam público qualificado

A visita qualificada representa, na maioria das vezes, uma ótima oportunidade para o encaminhamento de negócios durante uma feira. Na Mercopar deste ano, não foi diferente. Várias empresas expositoras avaliaram os resultados de forma positiva, como foi o caso do gerente comercial da Indústrias Romi, Cristiano Rodrigues de Fraga. Ele considera que a feira, de um modo geral, foi muito melhor que a edição anterior. “Os visitantes tinham um foco, o que não ocorreu em anos anteriores. Superou as nossas expectativas, principalmente neste momento. Os clientes mostraram que o mercado está mais animado, com confiança, reativando projetos que estavam parados”, afirmou.

A gestora de Marketing do Grupo Alltech, Ana Claudia Ferretti, também considerou a Mercopar uma feira positiva. “Vendemos máquinas, ferramentas e tivemos vários pedidos. O evento nos possibilita ter acesso a novas empresas. As pessoas estão comentando que neste ano melhorou a qualidade dos clientes”, ressaltou Ana.

Para o presidente da Sul Corte, Paulo Antônio Spanholi, o público visitante foi qualificado. “Isso nos surpreendeu e foi ótimo constatarmos que as pessoas vieram com um intuito. A economia está começando a se movimentar. Tivemos muitas prospecções de negócios”, observou.

A tradicional Rodada de Negócios movimentou cerca de 200 empresas vendedoras e 48 compradoras. Este modelo de negociação é um grande sucesso na história da feira, onde micro e pequenas empresas podem oferecer seus produtos e serviços a compradores de maior porte, por meio de contato direto que, no dia a dia, é uma tarefa que encontra muitas barreiras.

 

Nissan/Renault buscam soluções inovadoras com startups

Startups de diferentes tamanhos e cidades tiveram a oportunidade de desenvolver novas soluções para questões apresentadas por duas das maiores montadoras de veículos do mundo. O Campeonato de Inovação, projeto desenvolvido pelo SEBRAE/RS dentro do Salão da Inovação, na 26ª edição da Mercopar, colocou as necessidades de Nissan e Renault em contato com novos potenciais prestadores de serviços na área de tecnologia. A Mercopar segue até esta sexta-feira, em Caxias do Sul, com a participação de aproximadamente 200 expositores.

Antes mesmo do início do evento, os representantes da parceria entre Nissan e Renault listaram as áreas e necessidades que poderiam ser supridas pelas startups. São problemas reais, observados em diferentes áreas, como administrativo e finanças, marketing e vendas, industrial e planejamento. “É um modelo que funciona: aproximar as necessidades de grandes empresas de soluções desenvolvidas pelas startups”, explica Gustavo Moreira, técnico da Gerência de Inovação, Mercado e Serviços Financeiros do SEBRAE/RS.

As startups foram previamente selecionadas, e tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas com o gerente de Inovação da Nissan/Renault, Pablo Coelho. Durante dois dias, cada uma das empresas trabalhou em possíveis soluções para os problemas da multinacional. Na quarta-feira (04), os projetos foram demonstrados para uma banca formada por profissionais de diferentes setores. “Foi o nosso primeiro contato com uma empresa desse nível. Além da oportunidade real de fecharmos uma parceria, há ainda a experiência que adquirimos nesse contato”, afirma Diogo Manfori, um dos diretores da startup Manp Tecnologia, de Caxias do Sul.

Foram apresentados oito projetos, com potencial de aplicação às necessidades da Nissan/Renault. “Trazemos duas propostas. Uma é aplicada à gestão do chão de fábrica das montadoras. A outra é voltada ao desenvolvimento de carros inteligentes. Estou bastante confortável com os nossos projetos, já que são soluções na quais já trabalhamos que foram agora redirecionadas ao que eles precisam. Acredito que poderemos ter bons resultados”, afirma Alexandre Winck Ramos, um dos diretores da Allexo Tecnologia, de Porto Alegre.

Os resultados das apresentações devem ser conhecidos nos próximos dias. A partir das apresentações e conversas com as startups, a Nissan/Renault escolherá as propostas que mais atendem as suas necessidades. “A nossa conversa com esses potenciais fornecedores não acaba aqui. Pretendemos levar essas soluções apresentadas para uma série de testes em nossas unidades. Vivemos um momento de transformação tecnológica e contamos com essas empresas para seguir inovando”, ressalta Pablo Coelho.

 

Evento aproxima startups com gigante da produção de cimento

Líder nos mercados de cimento de Portugal, Argentina, Moçambique e Cabo Verde, vice-líder nos mercados brasileiro e paraguaio, além de ter relevante atuação na África do Sul e no Egito, a InterCement buscou na Mercopar a solução para um problema enfrentado em seu setor de almoxarifado. A empresa, com sede em São Paulo, participou do Campeonato de Inovação, promovido pelo SEBRAE/RS no Salão da Inovação.

A gigante chegou à feira, realizada no Centro de Eventos da Festa da Uva, com uma necessidade bem específica: o desenvolvimento de um modelo de almoxarifado no sistema de autoatendimento. Seis startups foram previamente selecionadas pelo SEBRAE/RS para terem a oportunidade de buscar uma solução. “Tivemos seis projetos desenvolvidos nos últimos dois dias e que agora foram apresentados à InterCement”, explica Gustavo Moreira, técnico da Gerência de Inovação Mercado e Serviços Financeiros do SEBRAE/RS.

Para a InterCement, o momento possibilita encontrar novos fornecedores entre pequenas empresas da área de tecnologia. “Temos várias parcerias com o SEBRAE e isso nos abre a possibilidade de participar de feiras como a Mercopar. Apresentamos às startups o desafio de nos trazer uma solução para um problema real que enfrentamos no nosso setor de almoxarifado. Pelas conversas que tivemos nesses dois dias acreditamos que encontramos um projeto adequado às nossas necessidades”, explica o gerente de Suprimentos da InterCement, Douglas Catan.

Em um meio altamente concorrido, as startups encontraram no Campeonato a oportunidade de terem acesso a profissionais de alto escalão das empresas que participaram do Campeonato de Inovação. “Estamos expondo pela primeira vez na Mercopar e participando do projeto no Salão da Inovação. É uma oportunidade fantástica para a nossa empresa ter acesso e ainda a possibilidade de desenvolver algo para uma empresa desse porte”, afirma Leonidas Brasileiro, da LBM Data de Canoas.

 

Grendene realiza encontros de negócios com startups

Empresas de base tecnológica de diferentes regiões do Rio Grande do Sul tiveram a oportunidade de pensar soluções para necessidades específicas de uma das maiores fabricantes mundiais de calçados. A Grendene, indústria que no ano passado obteve receita líquida de mais de R$ 2 bilhões, participou nesta sexta-feira (06) de uma série de encontros de negócios com potenciais fornecedores de tecnologia, durante a 26ª edição da Mercopar, em Caxias do Sul.

A ação foi promovida pelo SEBRAE/RS dentro do Salão da Inovação. A Grendene enviou suas necessidades previamente, e o SEBRAE/RS selecionou as potenciais fornecedoras que participariam das reuniões. Foram escolhidas 10 empresas de base tecnológica, e cada uma delas teve 30 minutos para apresentar suas soluções para os representantes da calçadista.

Uma das necessidades apresentadas pela Grendene foi a digitalização do seu parque fabril via scanner. A empresa também buscou na Mercopar um sistema para a gestão de energia e controle da qualidade de energia em suas unidades. “O objetivo foi identificar soluções já existentes e que poderiam ser adaptadas à realidade da Grendene. Cada potencial fornecedor pôde apresentar seus projetos e a partir desses encontros serão escolhidos os fornecedores dessas soluções”, explica o técnico da Gerência de Inovação Mercado e Serviços Financeiros do SEBRAE/RS, Gustavo Moreira.

 

Rodadas de Negócios exclusivas para soluções digitais

As Rodadas de Negócios exclusivas para Soluções Digitais contaram com aproximadamente 30 reuniões durante esta quinta-feira (5), penúltimo dia da Mercopar. O gestor de Projetos do SEBRAE/RS na Serra Gaúcha, Eder Pereira, explica que, num primeiro momento as empresas apresentaram o perfil de negócios e suas necessidades, para depois dar início às rodadas. “A intenção principal é termos encontros mais desenvolvidos e não apenas uma troca de cartões. A partir do primeiro contato, uma série de oportunidades pode surgir, como novas parcerias e novos produtos. E sempre que há uma oportunidade de negócio as empresas querem”, afirma Pereira.

A consultora de Negócios da Effective Gestão Empresarial, Gabriela Scariot Vargas, teve duas reuniões de negócios e saiu confiante. “Foi muito bom. Temos o produto para atender a demanda e conseguimos evoluir para uma oportunidade. Só no último mês participamos de três eventos do SEBRAE/RS por sentir que vale a pena”, diz ela.

PALESTRAS – A Mercopar ofereceu ao público, diariamente, uma série de palestras gratuitas, sobre temas variados, especialmente sobre tecnologias, automação, robótica e Indústria 4.0. Também foi destaque a realização das visitas orientadas, permitindo maior interação entre visitantes e empresas.

 

Palestra destaca automação e robótica como diferencial competitivo

Você conhece os cuidados e as vantagens da aquisição de células robóticas para a sua empresa? Esta foi a temática abordada na palestra “Automação e robótica como diferencial competitivo”, que ocorreu na quinta-feira (5), no Espaço SEBRAE da Mercopar.


De acordo com o gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Mectrol do Brasil, Edwin Avolio, é necessário muito planejamento antes de adquirir um robô. “É preciso analisar se o processo executado já está otimizado de forma confiável, analisar o espaço físico necessário, o conceito da célula e os custos de instalação, integração, atendimento para manutenção, suporte técnico, equipamentos de segurança e peças de reposição”, explica Avolio, complementando que existem robôs de diferentes cargas, quantidade de eixos, velocidades, configurações, dentre outras especificações. “Já as vantagens de utilizar robôs são a segurança e as condições de trabalho, tarefas repetitivas, a diminuição do tempo de execução de tarefas e a redução de custos”, afirma o gerente.

A Mectrol é uma empresa de São Paulo, com várias filiais no País, que fornece produtos de alto desenvolvimento tecnológico na área de automação industrial, máquinas operatrizes, eletrônica, ramo moveleiro, metalmecânico, indústria gráfica, automotiva, bebidas, alimentícia, plástico, óleo e gás, geração de energia, siderurgia, têxtil, calçadista, entre outras.

 

Workshop  busca gerar valor com o olhar no futuro

Durante a programação realizada nos quatro dias da Mercopar, em Caxias do Sul, o Innovation Lab apresentou workshops abordando assuntos atuais de forma prática e objetiva. Com o propósito de impulsionar ideias, tendo a tecnologia como instrumento, na sexta-feira (06), último dia do evento, as atenções estiveram direcionadas para o Workshop StarUCS Future. Esta oficina teve como objetivo buscar o passado, entender o presente e projetar o futuro. “Este foi o fator principal do workshop”, coloca o professor e coordenador executivo da TECNOUCS, Enor José Tonolli Júnior.

Na prática, o desejo das empresas é saber o que deu certo ou errado antes, ver o que está acontecendo no presente, para ter um olhar ou um cenário melhor mais à frente. “Enxergar o futuro e todas as suas possibilidades é o objetivo de todos. Precisamos saber o amanhã da natureza humana e sua mentalidade. Trabalhamos nosso destino, porém resolvendo e aplicando os resultados no presente, criando uma trajetória na geração de valor ”, argumenta.

De acordo com o ele, que ministrou a oficina junto com a professora coordenadora do Programa de Empreendedorismo da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Elóide Teresa Pavoni, estar presente na Mercopar é de suma importância. “Aqui podemos mostrar outras perspectivas com mais propriedade e projetar eventos futuros”, constata. Nos demais dias da feira foram apresentados nos Workshops os temas Inteligência Artificial e Explorando Big Data.

 

Desafio de Robôs da Indústria 4.0 revela seus vencedores

Estudantes de diferentes níveis tiveram a oportunidade de testar os seus conhecimentos no Desafio de Robôs Indústria 4.0. Agregados em equipes, eles tiveram a missão de desenvolver processos e soluções em uma linha de montagem que simula a fabricação de um carro. Na quinta-feira (05), terceiro dia da Mercopar, foram conhecidos os vencedores do Desafio.

Participaram da dinâmica estudantes dos níveis médio, técnico e superior, oriundos de universidades, escolas privadas e projetos sociais. “Eles chegaram aqui com as equipes montadas e logo percebemos que seria interessante desmontar o que eles haviam previsto. Por isso, eles foram misturados em equipes com diferentes idades, cidades e níveis de escolaridade”, frisa o técnico da Gerência de Inovação Mercado e Serviços Financeiros do SEBRAE/RS, Gustavo Moreira.


A mescla entre estudantes de perfis diferentes foi um dos pontos altos do desafio. Reunidos, eles, imediatamente, começaram a trabalhar afinados, e puderam trocar conhecimentos. O objetivo era automatizar as tarefas específicas de sua estação e a comunicação com as outras estações. “Logo eles notaram que falavam a mesma linguagem, tinham os mesmos interesses. Foi um aprendizado muito grande para todos”, ressalta o assessor de tecnologias educacionais do Colégio Marista Champagnat, Cesar Desimon.

Divididos em cinco equipes, os estudantes precisavam desenvolver robôs capazes de executar diferentes ações em uma linha de montagem automotiva. Tudo em miniatura, e utilizando os materiais disponíveis. “Depois dessa experiência pretendemos levar esses alunos para uma fábrica de verdade, para que eles vejam na prática como é feito e comparem com as soluções que eles próprios desenvolveram”, reforça Moreira.

Ao final de dois dias de trabalho, as equipes apresentaram seus robôs a um grupo de avaliadores formado por técnicos do SEBRAE/RS e professores. A vitória ficou com a equipe número cinco, responsável pelo processo final de colocação da peça no automóvel, formada pelos estudantes Andrieli Marques, Patrick Bartz, João Lopes, Eregon Silva e Mateus de Freitas.

 

Militares buscam fornecedores para nacionalizar componentes

Pela primeira vez na Mercopar, principal feira de subcontratação e inovação industrial da América Latina, os militares do Parque Regional de Manutenção da 3ª Região Militar, de Santa Maria, participaram nesta quinta-feira (05) da visita orientada promovida pelo evento junto à nove empresas previamente selecionadas.

De acordo com o tenente Felipe Condé, o objetivo é buscar parceiros brasileiros para nacionalizar a cadeia logística de manutenção dos tanques blindados e seus equipamentos. O tenente informa que o Exército tem mais de 300 tanques da família Leopard, provenientes da Alemanha, mas para melhorar a logística e valores estão em busca de parceria nacional, eliminando a necessidade de comprar componentes fora do Brasil. ”Estes tanques são os mais modernos e confiáveis do planeta, mas toda vez que precisamos fazer alguma troca temos que importar e isto tem um alto custo. Hoje em dia é tudo eletrônico e com muita precisão, chega a ter dezenas e milhares de componentes. Então atrapalha a nossa logística”, frisa ele.


Segundo o tenente Condé, obtendo sucesso na feira, esta tomada de ação vai auxiliar bastante o cenário atual. “Compraríamos equipamentos sem impostos de importação, já que não temos nenhum benefício, e aqueceríamos o mercado interno”, comenta. O tenente reforçou que está animado com a visita orientada e a conversa com os expositores. “Fiz uma análise prévia em algumas empresas, pelo site da feira, e tenho certeza de que várias poderão nos ajudar. Deu para ver que a maioria aqui presente tem tecnologia de ponta e vamos fazer alguma parceria para nos ajudar nesta missão e com valores mais em conta do que lá fora”, finaliza.

A realização da Mercopar é do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul (SEBRAE/RS) e da Hannover Fairs Sulamérica, empresa do Grupo Deutsche Messe AG.

Fotos: Eduardo Rocha      Mercopar
Fonte: De Zotti – Assessoria de Imprensa Resumo: Moldes Injeção Plásticos

Deixe uma resposta


Top