Você está em
Home > Notícias > FERRAMENTARIAS EM COMPASSO DE ESPERA

FERRAMENTARIAS EM COMPASSO DE ESPERA

Saiba mais sobre moldes de injeção plásticos

Fonte: Plástico Moderno

Ferramentarias em compasso de espera

As ferramentarias do setor de plásticos foram das primeiras empresas a se organizarem em ações para a fabricação e doação de máscaras de proteção para auxiliar no combate à Covid-19. Agora enfrentam o desafio de se manterem ativas e vislumbrar um caminho para a retomada das suas atividades.

Desde as primeiras medidas emergenciais relacionadas ao combate à Covid-19, as ferramentarias do setor de plásticos têm se organizado para dar apoio à fabricação dos itens necessários para conter a propagação da pandemia. Sob a orientação da Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (Abinfer), pólos do setor como a Associação do Núcleo de Excelência em Ferramentaria de Bragança Paulista (ANEFBP) estenderam as suas ações a parceiros da indústria de transformação e empreenderam um esforço coletivo já no início da pandemia, que resultou no desenvolvimento, projeto e fabricação de cerca de 45 mil máscaras do tipo face shield doadas a instituições situadas no Estado de São Paulo e algumas regiões de Minas Gerais.

Para atender a essa demanda foram produzidos 18 moldes, os quais foram instalados em empresas do ramo de injeção que se associaram ao projeto. Entre as entidades que foram beneficiadas com as doações das máscaras estão o Hospital Universitário São Francisco, a Santa Casa de Misericórdia e o Hospital Bragantino (todos em Bragança Paulista), Hospital do Coração, Centro de Estudos de Anestesiologia e Reanimação, Pro Matre, Hospital Santa Joana e Hospital do Servidor Público (estes em São Paulo, SP), Hospital Particular Extrema, Hospital Maternidade São Lucas e Pronto Socorro Municipal (todos em Extrema, MG), UPA Pinhalzinho (Pinhalzinho, SP), Hospital de Pedreira (Pedreira, SP) e Hospital de Espinosa (Espinosa, MG).

O socorro às empresas

Assim como a maioria dos empresários desse setor, os associados agora enfrentam o desafio de manter ativas as suas empresas até que surja uma luz no final do túnel diante da atual crise sanitária. Além de cortar custos, a redução de carga horária, férias e uso de banco de horas têm sido algumas das estratégias, como informou Renato de Souza Martins, diretor técnico da ANEFBP e diretor da Parstech Ferramentaria de Precisão, que atualmente trabalha com apenas 20 a 30% de sua capacidade. “Adaptamos a rotina para um turno apenas, afastamos funcionários idosos e vulneráveis e estamos trabalhando em esquema de revezamento, observando todas as diretrizes do Ministério da Saúde”, declarou.

A Parstech, em particular, é especializada em ferramental técnico de pequeno e médio porte, para a moldagem de conectores para a indústria automobilística. Porém, os segmentos que permanecem demandando atualmente são os que estão de alguma forma ligados aos ramos médico-hospitalar, medicina veterinária, cosméticos, higiene e limpeza.

Renato ressaltou que assim que as atividades sejam liberadas pelas autoridades do Estado, a associação tem como plano fazer uma campanha para captação de serviços envolvendo todas as empresas do polo, as quais estão passando pelas mesmas dificuldades.

A ANEFBP possui 33 associados, todos situados na região de Bragança Paulista, a maioria com capacitação para desenvolver ferramental de precisão para os segmentos automobilístico, de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, sensores, médico-hospitalar, tampas etc.

O projeto face shield

As empresas participantes do projeto de fabricação e doação das máscaras face shield foram MW CUT, F. Muller, FR Tools, Parstech, Polimold, Três S, Tecnoserv, BYR Componentes, Incoe, GGD Metals, OSG, Villares Metals, Injecom, Uninjet, ELDJA Usinagem de precisão, LichtPlast, Embalabor, Cuba Ferramentaria, CECAPP Centro de Capacitação, Digimold, Di Solda, Renz e Reibrag.

Fonte: Plástico Moderno

Saiba mais sobre moldes

Deixe uma resposta


Top